domingo, 26 de junho de 2016

Combate ao tráfico de drogas exige resposta global unificada


O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que o combate “ao problema mundial das drogas exige uma resposta considerável e unificada dos governos”.

Segundo Ban, “o comércio ilegal de drogas alimenta as redes do crime organizado transnacionais, a corrupção sistêmica e a violência generalizada”. Além disso, representa uma grande ameaça à saúde pública.

Mulheres e Crianças

No Dia Internacional contra o Abuso de Drogas e o Tráfico Ilícito, este domingo, 26 de junho, Ban disse que milhões de pessoas são afetadas diretamente pelo problema.

Ele citou especialmente os mais pobres, as mulheres e crianças consideradas em situação vulnerável e todos os que vivem em comunidades classificadas como frágeis.

Para enfrentar o desafio das drogas, Ban declarou que a resposta global deve ser simultâneamente “eficaz, humana e compassiva”.

O chefe da ONU lembrou que os Estados-membros alcançaram um progresso significativo na sessão especial da Assembleia Geral sobre o Problema Mundial das Drogas realizada em abril.Penas Alternativas

Os participantes avançaram nos debates sobre a promoção de penas alternativas à prisão, sobre o fortalecimento dos compromissos em relação aos direitos humanos e também para atacar a corrupção e os rendimentos ilícitos gerados pelo tráfico.

Ban pediu aos países e comunidades que continuem trabalhando para melhorar a vida das pessoas afetadas pelos uso de drogas, integrando segurança pública com maior atenção à saúde, direitos humanos e desenvolvimento sustentável”.

O secretário-geral afirmou que o Objetivo de desenvolvimento Sustentável 3 pede aos países que fortaleçam os sistemas de prevenção e tratamento para o uso de narcóticos, para combater a hepatite e acabar com a Aids.

Usuários

O objetivo 16 tem como meta criar sociedades e instituições pacíficas, justas e inclusivas que possam lidar com os problemas das drogas, crimes, corrupção e terrorismo.

O diretor-executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, Yury Fedotov, fez um alerta sobre o aumento do número de usuários, que passou de 27 para 29 milhões entre pessoas de 15 a 64 anos.

Citando o recente Relatório Mundial de Drogas 2016, Fedotov mencionou o ressurgimento da heroína em algumas regiões, o uso de um mercado ilegal para o tráfico de drogas e o impacto dele sobre mulheres e as mortes causadas por overdose.