sábado, 25 de junho de 2016

Janot diz que dorme com “uma pistola na mesa de cabeceira”


O procurador geral da República, Rodrigo Janot, afirmou anteontem, em entrevista sobre a Lava Jato ao jornal norte-americano “Washington Post”, que seu cargo o obriga a tomar precauções contra possíveis atentados. “Durmo com uma pistola na minha mesa de cabeceira, com três cartuchos carregados com 14 balas, cada um”.

De acordo com a publicação, além disso, Janot disse que a corrupção no Brasil é diretamente relacionada ao sistema político vigente. O procurador geral também disse que não há indícios que Dilma ou Temer estejam envolvidos em corrupção.

“Se você não mudar o sistema, vamos tirar essas pessoas (políticos condenados por corrupção), mas virão outros para substituí-los”, disse Janot.