quarta-feira, 6 de julho de 2016

A arte de bajular


Todo bajulador tem um traço comum: não gosta do bajulado. Por sua natureza servil, de cortesão, só serve a seus próprios propósitos. Sempre.

Em qualquer corte, com qualquer bajulado.

Sua vaidade maior não é ser útil, mas atingir seus fins por meio do servilismo. No seu íntimo e com os seus, costuma dar boas gargalhadas da arte de manipular o ego alheio, o que faz com esmero.

Só o bajulado não percebe isso, por se sentir dominador, quando de fato é ardilosamente dominado.