domingo, 10 de julho de 2016

Anderson Silva é derrotado por unanimidade, mas ovacionado pelo público


Ao se oferecer para substituir Jon Jones e enfrentar Daniel Cormier com apenas dois dias de antecedência, Anderson Silva tinha consciência de que esse seria talvez o maior desafio de sua carreira. Apesar de estar invicto contra lutadores da divisão dos meio-pesados (venceu James Irwin, Forrest Griffin e Stephan Bonnar), desta vez ele enfrentou o campeão da categoria, que é vindo dos pesos-pesados. A diferença de categoria dos rivais das lutas anteriores para a do deste sábado no UFC 200 não intimidou o brasileiro, que buscou a luta e chegou a ser superior em alguns momentos do combate, mas acabou derrotado por decisão unânime dos juízes (triplo 30-26) após o volume de luta do campeão – e a falta de um treinamento apropriado – fazerem a diferença contra ele.

– Eu treinei para um cara específico por oito semanas, e o cara saiu da luta e eu tive que enfrentar Anderson Silva, que é o maior lutador de todos os tempos. Eu estava nervoso no começo, mas fiz o que tive que fazer. Ele é muito duro e eu lutei para vencer – disse Cormier, que foi muito vaiado.

Vindo de episódios ruins para sua imagem, como uma suspensão por doping e a postura diante de Michael Bisping em Londres, Anderson Silva conseguiu dar a volta por cima e melhorar a sua imagem junto aos fãs não só ao se colocar à disposição do UFC para lutar contra Cormier, como por mostrar que estava disposto a dar um espetáculo em Las Vegas. Com o público a seu favor durante todo o combate, o brasileiro falou sobre a luta após o anúncio oficial.

– Eu encarei um desafio pessoal, para colocar em prática tudo que eu desenvolvi nesses anos todos. Estou sem treinar por muito tempo, mas é a prova que você pode fazer o que quiser, desde que você ponha na cabeça que é possível. Eu estou acostumado a trenar com meio-pesados, como Rogério Minotouro, meu mestre Minotauro, Jacaré, que é o próximo campeão do UFC. Eu senti um pouco por estar sem treinar pesado, para luta mesmo. Para mim foi uma vitória. O Daniel é um campeão, vim aqui não para desrespeitá-lo, mas para me desafiar pessoalmente – disse o brasileiro, que foi longamente aplaudido pelo público presente à arena.