terça-feira, 12 de julho de 2016

Ex-agente do governo diz ter provas de que 11/09 foi trabalho interno dos EUA


Kurt Sonnenfeld, então com 39 anos, trabalhava para a Federal Emergency Management Agency (FEMA) do governo norte-americano logo depois que as torres caíram em Nova York. Ele ganhou acesso irrestrito ao Ground Zero e foi incumbido de filmar tudo o que encontrasse pela frente, de acordo com o que contou ao jornal The Sun.

Sonnenfeld, no entanto, resolveu não entregar a filmagem, alegando que havia descoberto evidências chocantes, que provavam que o governo dos EUA tinha conhecimento prévio do ataque terrorista aos prédios.

Segundo conta, abaixo do World Trade Center 6, ele encontrou um cofre vazio, cujo conteúdo teria sido retirado antes do impacto dos aviões, indicando que alguém teria sido avisado do que iria ocorrer.

Fuga para a Argentina

Após suas descobertas, Sonnenfeld acredita que sua vida começou a desmoronar. Ele foi preso, acusado pela morte da sua esposa pouco tempo depois, quando ela foi encontrada com uma bala na cabeça.

Apesar das acusações contra ele terem sido retiradas, ele fugiu dos EUA e agora vive na Argentina, onde se casou e é pai de duas filhas. Sonnenfeld diz que teme que seja preso para ser silenciado – a polícia já reabriu o caso sobre a morte de sua esposa algumas vezes.

“EUA sabiam”

Em um documentário na Argentina, o norte-americano disse: “uma coisa que eu tenho certeza é que as agências de inteligência dos Estados Unidos sabiam o que ia acontecer, ou pelo menos deixaram acontecer. Não só sabiam, como de fato colaboraram.”

O ex-agente da FEMA também acredita que o colapso do WTC 7 é mais uma prova disso. O prédio construído com aço desmoronou sozinho nove horas após os ataques contra as torres. Até hoje a queda do prédio é um mistério e serve para alimentar as mais variadas teorias sobre os atentados terroristas daquele triste dia. Para Sonnenfeld, essa seria mais uma prova de que tudo não passou de um “trabalho interno” dos EUA.