quarta-feira, 6 de julho de 2016

Governo retarda tramitação de projetos contra a corrupção

O Globo

Numa reunião com líderes da base governista, o presidente interino Michel Temer decidiu, nesta terça-feira, retirar do regime de votação com urgência três projetos de lei similares à medidas propostas pelo Ministério Público Federal para reforçar o combate à corrupção e que tiveram o apoio de mais de dois milhões de brasileiros. Os deputados acertaram com Temer a retirada da urgência dos projetos momentos depois de se reunirem com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para discutir o andamento do pacote contra a corrupção no Congresso Nacional.

— Líderes dos partidos (da base governista) foram ao presidente e pediram a retirada da urgência. Ele (Temer) disse que, se era um pleito dos líderes e se são idênticas às medidas de iniciativa popular, não teria problema nenhum tirar a urgência — disse o líder do governo na Câmara, André Moura (PSC-SE) depois do encontro com Temer.

A decisão contraria o movimento liderado pelo Ministério Público Federal, que vem pedindo ao Congresso Nacional pressa na análise das medidas de combate à corrupção. Pouco antes da reunião com Temer, deputados de mais de 15 partidos tiveram uma reunião de mais de duas horas com Janot. Durante o encontro, o procurador-geral pediu apoio dos parlamentares ao pacote de medidas contra a corrupção. As propostas surgiram a partir das investigações da Operação Lava-Jato.