terça-feira, 5 de julho de 2016

Jogadores islandeses são recebidos como heróis


A seleção islandesa, que fez uma campanha histórica na sua primeira participação na Eurocopa, foi recebida com festa nesta segunda-feira (4), um dia depois da eliminação nas quartas de final pela anfitriã França.

“Contos de fada ainda existem! É raro ver algo que deixa o nosso povo tão unido, vocês são um tesouro nacional”, se entusiasmou o primeiro- ministro Sigurdur Ingi Johannsson.

Os jogadores desembarcaram no início da noite no aeroporto de Keflavik, a cerca de 40 quilômetros de capital, Reykjavik, depois do avião sobrevoar a cidade em baixa altitude, e foram recebidos por dezenas de milhares de torcedores. Ou seja, uma parcela importante da população do pequeno país, que tem apenas 330.000 habitantes.

Caminhões de bombeiros escoltaram o avião e acionaram as mangueiras na pista, formando um belo arco-íris.

Autor do gol da vitória sobre a Inglaterra nas oitavas de final (2-1), Kolbeinn Sigthorsson não escondeu a emoção ao ser acolhido como herói.

“Foi um sonho receber tanto apoio. Vivemos coisas fabulosas e ficamos muito orgulhosos por ter dado tanto alegria ao nosso país”, vibrou o atacante.

Em seguida, os jogadores participaram de um grande desfile em carro aberto pela capital, em direção ao parque Arnarholl, onde a população assistiu às últimas duas partidas em um telão.

“Eles estão reagindo com orgulho, até mesmo depois da derrota. Não desistiram, mesmo depois de perder por 4 a 0 no intervalo, e estão voltando como heróis”, elogiou August Ingi Kristjansson, torcedor de 23 anos que foi ao Stade de France para apoiar a seleção.

“Estou tão orgulhoso!”, gritou Sverrir Gardarsson. “O que vai acontecer depois? Vamos dominar o mundo!”.

Para retribuir o carinho da torcida, os jogadores entoaram o famoso grito “Uh”, que incendiou os estádios da França. Muitas vezes descrito como um ritual Viking, esse grito teria na verdade origens escocesas.