sexta-feira, 8 de julho de 2016

Juiz arquiva denúncia de fraude contra Neymar na Espanha


Neymar tem uma preocupação a menos em suas batalhas nos tribunais. O juiz José de La Mata decidiu, nesta sexta-feira, arquivar o caso que tinha com alvos o atacante brasileiro e seu pai, Neymar da Silva Santos, por supostas irregularidades na transferência do craque do Santos para o Barcelona, em 2013.

Além de Neymar e o pai, o caso investigava a atuação do ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, e de Josep Maria Bartomeu, vice em 2013 e atual mandatário do clube catalão. A investigação partiu de uma queixa-crime colocada pelo grupo de investimentos DIS, que detinha 40% dos direitos econômicos de Neymar. Os investidores acusavam Neymar e o Barcelona de terem maquiado os valores da transferência do Santos para o clube catalão, em 2013.

Como tinha direito a um percentual da negociação, o DIS alegava ter recebido uma quantia inferior à que deveria ganhar, caso o valor total da transferência, de 86,2 milhões de euros, não tivesse sido fragmentado em contratos paralelos feitos pelo Barcelona com empresas administradas pelo pai de Neymar. Inicialmente, o clube informou que o gasto havia sido de 17,1 milhões de euros.

A investigação sobre Neymar arquivada nesta sexta-feira é diferente, embora tenha relação, do cerco imposto pela Receita Federal do Rio de Janeiro ao atacante do Barcelona. No Brasil, Neymar é investigado por supostamente fazer uso de empresas e de contratos de imagem para mascarar ganhos como pessoa física, de forma a reduzir o percentual de impostos recolhidos.

Em fevereiro deste ano, o atacante e seu pai tiveram que prestar depoimento, na condição de investigados, em tribunal em Madri, a capital da Espanha. Ambos foram chamados para esclarecer à Justiça espanhola se houve tentativa de ocultar os valores da negociação que o tirou do Santos e o colocou no Barcelona.

Em maio deste ano, o Barcelona entrou em acordo com o Fisco espanhol para pagar uma multa de até 6 milhões de euros, assumindo a culpa por evasão de divisas na transferência de Neymar em 2013. Com isso, o caminho ficou pavimentado para que o atacante e o pai fossem inocentados pelo tribunal.