sexta-feira, 22 de julho de 2016

Novo dinossauro é descoberto na Patagônia

Foi descoberta na Argentina uma nova espécie de dinossauro que poderá ajudar a desvendar as controversas origens evolutivas do grupo ao qual pertence, o dos megaraptorídeos. O animal achado na Patagônia viveu há 80 milhões de anos, era carnívoro, bípede e foi batizado de Murusraptor barrosaensis.

A descoberta foi descrita em um artigo publicado na revista científica PLOS One, pela equipe liderada por Rodolfo Coria, do Conselho Nacional de Investigações Científicas e Técnicas da Argentina e por Phillip Currie, da Universidade de Alberta, no Canadá.

O novo fóssil analisado no estudo foi descoberto em Sierra Barrosa, na província argentina de Neuquén, no noroeste da Patagônia e é um dos mais completos megaraptorídeos já encontrados, com uma caixa craniana excepcionalmente preservada, segundo os autores do estudo.

“Um novo dinossauro carnívoro, o Murusraptor barrosaensis, foi descoberto em rochas de 80 milhões de anos. Embora esteja incompleto, seus ossos maravilhosamente preservados desvendam informações até agora desconhecidas sobre a anatomia do esqueleto dos megaraptorídeos, um grupo altamente especializado de predadores da Era Mesozoica”, disse Coria.

Segundo Coria, as características únicas do crânio do Murusraptor barrosaensis levaram a equipe a concluir que se tratava de uma nova espécie do clado dos megaraptorídeos. O espécime parece ser imaturo, mas, de acordo com Coria, a espécie era maior e mais esguio que o gênero Megaraptor e comparável em tamanho aos gêneros Aerosteon e Orkoraptor.

“Embora tenha várias características comuns com outras espécies, o Musuraptor tem elementos faciais distintivos que nunca foram vistos entre os megaraptorídeos, além de ter ossos do quadril com formas incomuns”, afirmou Coria.