sexta-feira, 8 de julho de 2016

Obama condena massacre de policiais em Dallas e diz que justiça será feita


O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, condenou nesta sexta-feira (8) a “tremenda tragédia” que aconteceu em Dallas, na quinta, quando cinco policiais foram mortos e outros sete atingidos por disparos de franco-atiradores durante uma manifestação contra a violência policial. Obama disse que a “a justiça será feita”.

“Ainda não conhecemos todos os detalhes. O que sabemos é que este foi um ataque terrível, calculado e desprezível contra agentes de segurança”, disse Obama à imprensa, após se reunir em Varsóvia (Polônia) com presidentes do Conselho Europeu, Donald Tusk, e da Comissão Europeia, Jena-Claude Juncker.

“Eu acho que falo em nome de todos os americanos quando digo que estamos horrorizados com estes fatos, e estamos unidos com o povo e o Departamento de Polícia de Dallas”, disse ainda Obama.

Obama afirmou que há “vários suspeitos” no caso. Disse ainda que não há justificativa para este tipo de ataque contra agentes de segurança. “Qualquer um envolvido nestes assassinatos será responsabilizado. A justiça será feita”.

O presidente lamentou os casos esta semana em que dois negros foram mortos por policiais, em Minnesota e Louisiana, mas disse que a grande maioria dos agentes faz um “trabalho extraordinário” e que a violência não é um caminho a se seguir. “Hoje é uma lembrança dolorosa dos sacrifícios que eles (policiais) fazem por nós”

Ao longo do seu mandato, Obama pressionou e tentou influenciar por um maior controle de armas nos EUA, mas a ideia não tem sucesso entre o legislativo americano.