quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Empresas familiares representam 49% dos pequenos negócios do RN

Contar com o auxílio de algum parente para ajudar na gestão ou operação da empresa. Essa é uma realidade para quase metade dos negócios de pequeno porte do Rio Grande do Norte. Segundo levantamento feito pelo Sebrae Nacional, 49% das micro e pequenas empresas do estado. Isso equivale a um universo de mais de 63,1 mil negócios em todo o território potiguar, entre microempresa, Microempreendedor Individual (MEI) e empresa de pequeno porte. Os dados constam no Relatório Especial – Empresas Familiares, que reúne informações sobre esse tipo de empreendimento em todo o país.

A ArtKamizetas endossa os números do estudo no Rio Grande do Norte. Há 14 anos no mercado natalense, a empresa produz camisetas promocionais, esportivas e corporativas. A gestão do negócio, fundado pelo empresário Luiz Eduardo Ribeiro, é compartilhada pela família. Estão envolvidos também no empreendimento a esposa do empresário, Mita Cacho, e os filhos Bruno e Diogo Ribeiro, que ocupam as diretorias financeira e de criação, respectivamente.

”Eles trouxeram coisas novas para a empresa”, fala orgulhoso o empresário Luiz Eduardo Ribeiro sobre a colaboração dos filhos dentro do negócio familiar de confecção de camisetas. Ele também garante que há uma tranquilidade natural em saber que o negócio continuará dentro da família. “A maior vantagem é confiar plenamente no que está sendo feito”, afirma.

Para Diogo Ribeiro, que é formado em engenharia da computação, a entrada na empresa da família, que hoje emprega 40 funcionários, tem servido para implementar os conhecimentos adquiridos na faculdade. “Eu e meu irmão estamos sempre preocupados em trazer nossos conhecimentos para a empresa. Queremos vê-la estruturada e crescendo”, diz, mostrando um dos benefícios de ter membros da família envolvidos nos negócios. Mais que uma oportunidade de entrar no mundo empresarial, a inserção no negócio traz confiança e também a responsabilidade de fazer o melhor. “Não é só porque é uma empresa familiar. A responsabilidade que temos seria a mesma se a empresa não fosse nossa”, garante Diogo Ribeiro.

Agência Sebrae