segunda-feira, 8 de agosto de 2016

La Niña poderá influenciar no período chuvoso em 2017

Para este mês de agosto, de acordo com a análise pluviométrica feita pela Gerência de Meteorologia da EMPARN, a previsão é de poucas chuvas. O monitoramento diário e mensal das principais variáveis oceânicas/atmosféricas que influenciam na ocorrência de chuvas no setor leste do Nordeste brasileiro tem mostrado uma evolução que não é favorável às precipitações. Isso fica evidente no comportamento dos ventos alísios de Sudeste, que tem atuado com intensidade maior do que o normal e com uma predominância de Sul/Sudeste, o que prejudica a formação de chuvas sobre a faixa leste do Rio Grande do Norte.

No entanto, o meteorologista Gilmar Bristot destaca um fator importante: “As águas do Oceano Pacífico começaram a apresentar um resfriamento bastante consistente, evidenciando o fenômeno La Niña. Essa situação deverá permanecer até meados do próximo ano, o que poderá influenciar de forma positiva na ocorrência de chuvas sobre o Nordeste do Brasil no período chuvoso de 2017”.