segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Lote de achocolatado é interditado após morte de menino


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou hoje a interdição cautelar de um lote do achocolatado Itambezinho, fabricado pela marca Itambé. O produto interditado foi fabricado em maio de 2016 e é válido até o mês de novembro deste ano. A medida foi tomada após a morte de uma criança de dois anos na última quinta-feira, por parada cardiorrespiratória, após tomar o mesmo achocolatado. Embora não haja confirmação de que a bebida tenha causado a morte da criança, a Coordenadoria Estadual de Vigilância Sanitária do Mato Grosso solicitou a interdição cautelar do lote completo de todos os achocolatados desta marca.

Segundo denúncia feita pela mãe do menino à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o filho estava bem e começou a passar mal logo após ingerir a bebida, sofrendo com falta de ar, fraqueza e princípio de desmaio. Ainda segundo o relato, ela e um tio da criança também apresentaram mal-estar momentâneo após ingerir um pouco do mesmo produto.

Ao sofrer dos sintomas, a criança foi levada para a Policlínica do Coxipó, em Cuiabá, Mato Grosso, mas faleceu uma hora após a internação. Em depoimento, a mãe, de 28 anos, disse que o filho bebeu o achocolatado por volta das 9 horas da manhã. Antes disso, a vítima estava bem, apresentando apenas os sintomas de um resfriado leve havia dois dias. Após ingerir um pouco do mesmo achocolatado, a mãe relatou ter sentido náuseas e tontura. O tio do menino, com sintomas mais fortes, teria se dirigido ao Pronto-Socorro de Cuiabá.