quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Lula mostrou desrespeito à população de Natal, diz Rogério Marinho


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi a Natal na terça-feira (2) e, em seu discurso, buscou se colocar acima da lei e não mostrou solidariedade à população da capital do Rio Grande do Norte, que vive um forte clima de insegurança como resultado de ações do crime organizado deflagradas nos últimos dias. A avaliação é do deputado federal Rogério Marinho (PSDB), eleito para a Câmara como o mais votado da capital potiguar em 2014.

Rogério afirmou que o discurso de Lula é “absolutamente inconsistente” e que as acusações contra o petista em curso na Lava Jato são apenas a “apenas a ponta do iceberg” do que vem pela frente. “O Lula está fazendo o papel de líder de um partido que perdeu o discurso, então ele precisa, de alguma forma, tentar pregar para os convertidos para justificar o injustificável. Lula se comporta como se nada tivesse acontecendo, como se ele não fosse réu de um processo de obstrução da Justiça, como se não tivesse sido citado por diversos delatores em malversação de recursos públicos, como se o partido e o projeto de poder que ele participava estivesse desmoronando pela sua inconsistência e equívocos”, destacou o parlamentar.

O tucano criticou ainda o fato de o ex-presidente ignorar uma delicada situação de segurança pública vivida em Natal nos últimos dias. “Lula foi a Natal num momento em que a cidade está há seis dias vítima de violência cometida pelo crime organizado e não falou a respeito do tema, não se preocupou com o assunto que, em última instância, é culpa dos governos do PT. A partir da entrada do PT no poder, o crime organizado teve uma escalada pela falta de políticas públicas. No entanto, foi para lá para defender o seu partido e a ele mesmo, mas ignorou uma situação que a cidade estava vivendo. Quer dizer, foi fazer uma festa, como se ele não tivesse responsabilidade sobre o problema”, atacou.

O deputado disse ainda que o ex-presidente deveria se preocupar em responder às acusações que pesam contra ele e seu partido. “É o que ele deveria fazer, ao invés de estar se desgastando em eventos pelo país afora, negando evidências e situações que, na verdade, constrangem toda a população brasileira”, disse o tucano, criticando ainda a denúncia feita pela defesa de Lula à ONU, alegando o petista ser vítima de perseguição pela Operação Lava Jato.