terça-feira, 30 de agosto de 2016

Machado de Assis e “as rendas municipais”


“A frase — escassez das rendas municipais — há muito tempo que nenhum tipógrafo a compõe; está já estereotipada e pronta, para entrar no período competente, quando alguém articula as suas idéias acerca dos negócios locais.”

O texto acima da “Obra Completa de Machado de Assis, Rio de Janeiro: Nova Aguilar, Vol. III, 1994″.

Foi publicado originalmente em O Cruzeiro, Rio de Janeiro, de 02/06/1878 a 01/09/1878.

Atualíssimo.

Em síntese, o autor de obras clássicas da literatura brasileira como “Memórias Póstumas de Brás Cubas” e “Dom Casmurro”, revelava um clichê que era comum à classe política na segunda metade do século XIX, para justificar despreparo e incompetência.

Passados quase 140 anos da publicação, a ladainha é a mesma.

O romancista, que era também um cronista político perspicaz e mordaz, parece que cobre os dias atuais da política desse lado do Atlântico.