sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Moro diz que foro privilegiado fere ideia básica da democracia


Ao participar da primeira audiência pública da comissão especial criada para analisar o projeto anticorrupção, o juiz Sergio Moro defendeu que o foro privilegiado, pelo qual autoridades só podem ser julgadas por Cortes superiores, “fere a ideia básica da democracia de que todos devem ser tratados como iguais. Não existe razão para salvaguardas”. Segundo o juiz, o foro, aliado aos resultados da Lava Jato “assoberbou” o Supremo Tribunal Federal (STF), responsável pelo julgamento de senadores e deputados e autoridades do primeiro escalão.