terça-feira, 20 de setembro de 2016

Despesa milionária com equipe de Dilma é mantida


O montante de R$ 1 milhão se refere a um benefício autorizado pela Comissão de Ética da Presidência da República, a quarentena, em que ex-funcionários continuam recebendo salário por um período de seis meses.

Prevista na legislação brasileira desde 2000 e alterada em 2013, a quarentena impede que ex-integrantes da Administração Pública Federal trabalhem na iniciativa privada por terem acesso a informações privilegiadas.

A quarentena é paga atualmente a um número recorde de 91 ex-servidores públicos, sendo que 47 deles atuaram na gestão de Dilma.

De acordo com a Comissão de Ética da Presidência, o que alavancou o número de beneficiários, além do impeachment, foi a ampliação do rol de autoridades com direito à quarentena para funcionários de confiança e presidentes, vices e diretores de autarquias, fundações e empresas públicas ou sociedades de economia mista.