quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Sem acordo com empresários, bancários continuam em greve por tempo indeterminado

A greve dos bancários segue sem previsão para acabar. De acordo com o presidente do Sindicato dos Bancários do Rio Grande do Norte, Gilberto Monteiro, a paralisação ocorre por falta de reajuste no salário dos servidores, que tem data base para agosto. Ainda de acordo com o sindicalista, na última conversa com os banqueiros, que aconteceu no último dia 29, os patrões ofereceram reajuste de apenas 6,5% – menor que a inflação acumulada e muito distante dos 28% de aumento que a categoria cobra.

Devido à greve, as agências bancárias de todo o país estão fechadas e apenas os serviços de autoatendimento (em caixas eletrônicos) estão funcionando para consultas, saques e depósitos nas unidades. Contudo, para depósito, há uma limitação de agências que estão recebendo esse tipo de operação.

Segundo Gilberto Monteiro, o Banco do Brasil, por exemplo, indicou cinco agências para a realização de depósitos durante o período de greve. As operações estão sendo realizadas nas agências Tirol, Afonso Pena, Prudente de Morais, Amintas Barros e Igapó. Os outros bancos não indicaram agências para a realização deste serviço, no entanto, acredita-se que as principais unidades devem estar com caixas aptos à realização desta operação.