sábado, 8 de outubro de 2016

ONU manda tropa do Brasil para área destruída por furacão no Haiti


O general Ajax Porto Pinheiro, comandante das tropas internacionais da ONU na missão de paz no Haiti (Minustah), deslocou o comando do Brasil e cerca de 330 soldados brasileiros, cuja base é a capital, Porto Príncipe, para as cidades mais destruídas pelo furacão Matthew, que deixou até o momento mais de 800 mortos, segundo as autoridades locais ouvidas pela agência Reuters. Para Pinheiro, o número de mortes ainda deve aumentar, e passar de mil.

Em entrevista exclusiva, Pinheiro afirmou que o coronel que comanda as tropas do Brasil, Sebastião Roberto de Oliveira, todos os seus auxiliares, duas companhias de infantaria e mais 50 homens que integram a engenharia do Brasil foram levadas para as cidades de Miragoâne, Les Caye e Jeremie, todas ao sul, que ficaram isoladas e foram totalmente devastadas.

“As ruas estão alagadas, estradas soterradas, as pontes destruídas e arrancadas pelas ondas. O furacão deslocou-se sobre o país em uma velocidade pequena – entre 4 km/h e 10 km/h – mas com velocidade de seu redemoinho que chegou até 230 km/h. Ele parou em alguns momentos sobre o país, pegando tudo, sem salvação”, diz o general. As ondas, no litoral sul, atingiram o litoral com mais de 3 metros de altura.

“As pessoas ficaram totalmente expostas, não tinham onde se proteger, porque os telhados das casas nestes locais não resistem ao vento e foram levados. Árvores, até coqueiros de metros de altura, foram arrancados totalmente pelas raízes. Como se alguém pegasse, pelas mãos, e arrancasse como se fosse capim”, diz Pinheiro, que sobrevoou a área atingida na tarde de quinta-feira (6).