quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Salários no MPRN também extrapolam o teto, destaca reportagem

A Tribuna do Norte traz uma reportagem nesta quarta-feira(26), destacando que salários no Ministério Público do Rio Grande também extrapolam o teto. De acordo com o texto, a soma de indenizações e outras remunerações retroativas e ou temporárias ao vencimento a base faz com que o salário de pelo menos 22 membros do órgão extrapolem o teto constitucional.

Segundo levantamento da reportagem, nos meses de agosto e setembro deste ano alguns promotores e procuradores de justiça tiveram o rendimento líquido mensal superior aos R$ 30.471, teto este para o serviço público no Estado, pois não são computadas, para cálculo de abate do teto, os rendimentos relativos às parcelas autônomas de equivalência, que giram em torno de R$ 4 mil, e as indenizações, pagas em auxílio saúde , alimentação e moradia, que juntas, somam cerca de R$ 6 mil. Com isso, o salário bruto de alguns dos membros chegou a R$ 57 mil.

Texto na íntegra, e outros detalhes aqui