terça-feira, 18 de outubro de 2016

Sem dinheiro em caixa, Robinson estuda propor parcelamento do duodécimo a MP, AL, TCE e TJ

Sem dinheiro em caixa devido à crise financeira que atinge os estados e o País, o governador Robinson Faria (PSD) estuda propor aos órgãos do Estado – Ministério Público, Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas e Assembleia Legislativa – um parcelamento do duodécimo, que no mês passado, no RN, somou R$ 126 milhões.

Robinson está em viagem a Brasília, em mais uma tentativa de audiência com representantes da área econômica do governo Michel Temer. O maior problema do Estado, hoje, é financeiro: não há recursos para pagar a folha de pessoal. E preocupa o repasse do duodécimo, que poderá atrasar.

Apesar disso, 10% dos servidores ainda não receberam o salário referente ao mês de setembro. Apenas os servidores que ganham até R$ 5 mil foram contemplados com o vencimento. Para fazer frente às necessidades de caixa, o governo intensifica ações para aumentar a arrecadação, como, por exemplo, o novo Refiz (benefício dado a algumas empresas).

Robinson pretende ter uma reunião com os órgãos dos poderes para mostrar a situação e propor a divisão da conta com os demais poderes. Em Mato Grosso, o governador Pedro Taques assinou um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com os poderes.