sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Biodiesel de óleo de palma ameaça floresta tropical e polui mais que diesel


O consumo de óleo de palma para a produção de biodiesel na Europa cresceu 2,6% em 2015, um aumento que ameaça a floresta tropical e que a Quercus (maior organização ambiental portuguesa) critica, já que esse combustível polui três vez mais do que o óleo diesel.

“O biodiesel europeu é atualmente o principal produto final resultante do óleo de palma, atingindo o índice inédito de 46%. Isso significa que os condutores são, apesar de inconscientemente, os maiores consumidores de óleo de palma na Europa”, diz comunicado da Quercus, que alerta para o impacto desse crescimento na destruição das florestas tropicais.

Segundo os dados apresentados pela organização ambientalista, o biodiesel produzido a partir de óleo de palma representou 32% de todo o biodiesel consumido na Europa em 2015 e por “2% de todo o diesel queimado”.

“De todos os biocombustíveis, o óleo de palma é o mais barato, sendo também o mais poluente. As suas emissões de gases de efeito estufa são três vezes mais elevadas do que as do diesel. Isso porque a expansão das plantações de palmeiras tem como consequência o desflorestamento e a drenagem de zonas úmidas em áreas de floresta tropical do Sudeste Asiático, da América Latina e de África, de enorme valor ecológico”, diz o comunicado.