domingo, 27 de novembro de 2016

Campanha de Hillary Clinton participará de recontagem de votos


A campanha eleitoral da democrata Hillary Clinton disse neste sábado (26) que se juntará a uma recontagem de votos no estado de Wisconsin, embora não tenha visto nenhuma irregularidade até agora na disputa pela presidência dos Estados Unidos, vencida pelo republicano Donald Trump.

A candidata do Partido Verde, Jill Stein, pediu uma recontagem em Wisconsin, que foi aprovada pela Comissão Eleitoral do estado nesta sexta-feira, e anunciou neste sábado sua intenção de solicitar recontagens em todo estado em que o prazo não tenha se encerrado. Até este anúncio, ela havia dito que também pediria no Michigan e na Pensilvânia.

Marc Erik Elias, advogado de eleição da candidata democrata, disse neste sábado em um post no site Medium.com que a campanha também participará de eventuais recontagens nos estados de Michigan e da Pensilvânia, caso sejam organizadas.

Trump, o candidato presidencial republicano, ganhou em nesses três estados por pouco mais de 100 mil votos. As vitórias apertadas nesses estados ajudaram-no a obter o mínimo de 270 votos necessários para vencer no Colégio Eleitoral. Hillary perdeu por cerca de 20 mil votos em Wisconsin, 70 mil votos na Pensilvânia e 10 mil votos em Michigan.

Neste sábado, Trump classificou a recontagem de “ridícula” e acusou o pedido de ser uma “farsa”, de acordo com um comunicado divulgado pela rede americana CNN. Segundo o texto, Trump afirma que “esta recontagem é apenas uma maneira de Jill Stein, que recebeu menos de um por cento do total de votos e nem sequer estava nas cédulas em muitos estados, de encher seus cofres com dinheiro, a maioria ela nunca vai gastar com essa recontagem ridícula”.

“Isso é uma farsa do Partido Verde para uma eleição que já foi concedida, e os resultados dessa eleição devem ser respeitados em vez de serem desafiados e abusados, o que é exatamente o que Jill Stein está fazendo”, diz a nota, segundo a BBC.