quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Defesa de Lula formaliza protesto contra atuação de Moro em audiência


A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que tem se especializado em ciscar, apresentou nesta terça-feira ao juiz Sérgio Moro reclamação por escrito sobre audiência de testemunhas de acusação. Os delatores Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, Dalton dos Santos Avancini, Eduardo Hermelino Leite e Delcídio do Amaral foram ouvidos segunda-feira por Moro. Para os advogados de Lula, o juiz não obedeceu o artigo 212 do Código de Processo Penal ao permitir que o Ministério Público Federal fizesse perguntas às testemunhas que iam além do objeto da denúncia.

No documento, os advogados disseram que Moro havia indeferido o pedido de produção de provas da defesa fundamentando sua decisão justamente na limitação da ação penal em curso, baseada em três contratos da Petrobras. Para eles, Moro tentou mitigar a tese da defesa. No documento, os advogados disseram que a petição tem como objetivo apenas formalizar os protestos de desvios de procedimento e reafirmaram que Moro não tem imparcialidade e isenção para julgar o ex-presidente.

A audiência com as testemunhas de acusação foi tensa. Os advogados de Lula reclamaram de ter o trabalho cerceado pelo magistrado, que, por sua vez, os acusou de tentarem tumultuar o processo. Moro chegou a cortar a gravação depois que o advogado José Roberto Batochio afirmou que ele estava tentando “suprimir a defesa”, que estava agindo dentro da lei. O juiz chegou a dizer que a defesa estava “faltando com a educação”.