quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Feridos se recuperam bem; Follmann tem risco de nova amputação

As primeiras horas, fundamentais para a recuperação, foram positivas para os sobreviventes da tragédia aérea que resultou na morte de 71 pessoas na Colômbia. Os três jogadores da Chapecoense que saíram com vida do acidente ainda estão sob cuidados médicos – mas os sinais são positivos. Quem mais gera preocupação é o goleiro Follmann, que teve uma perna amputada e corre o risco de perder o outro pé.

O zagueiro Neto foi o último a ser resgatado. Ele chegou ao hospital com lesões cranianas – foi constatado que eram apenas edemas – e no tórax. Neto passou por drenagem torácica na terça-feira e respondeu bem. Tem boas condições circulatória e neurológica. Ainda passará por novos procedimentos nas pernas para fechar feridas e evitar infecções. Ele teve fraturas nos membros inferiores em decorrência do choque.

O lateral Alan Ruschel passou por cirurgia na terça-feira para estabilizar uma fratura na coluna. Ele teve lesão em uma das vértebras e correu risco de ficar tetraplégico. Nesta quarta, segundo o porta-voz da Chapecoense, Andrei Copetti, não havia mais essa possibilidade – mas não houve confirmação da clínica onde ele está internado. O último boletim foi na terça. Mais tarde, a Chapecoense informou que ele apresenta movimentos normais em membros inferiores e posteriores.