IBGE anuncia mudanças na Pesquisa de Orçamentos Familiares - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

26/06/2017

IBGE anuncia mudanças na Pesquisa de Orçamentos Familiares


O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) começa a coletar dados para a Pesquisa de Orçamento das Famílias (POF) 2017-2018 a partir desta segunda-feira (26). O levantamento será feito até maio do ano que vem e os resultados deverão ser divulgados em 2019.

Por meio da pesquisa, o instituto pretende atualizar a lista de gênero de consumo das famílias brasileiras e a estrutura de ponderação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país.

Hábitos de consumo

O IBGE começou a analisar os hábitos de consumo das famílias em 1974 por meio do Estudo Nacional da Despesa Familiar (ENDEF). Nos anos 1980, o estudo foi substituído pela POF, cuja última edição foi realizada entre 2008 e 2009. Ao longo do tempo, a pesquisa sofreu modificações em sua estrutura metodológica e amostragem – nos anos 80 e 90, por exemplo, ela se concentrava somente nas regiões metropolitanas urbanas.

Nesta edição da POF serão visitados 75 mil domicílios – 9 mil a mais que na edição anterior – em cerca de 1,9 mil municípios brasileiros. Cerca de mil agentes de pesquisa irão a campo levantar as informações ao longo de 12 meses. Pela primeira vez, os recenseadores do IBGE irão utilizar tablets para a coleta dos dados.

Além de ampliar a amostra de pesquisa, esta edição da POF deixará de coletar dados antropométricos – peso e altura da população – nos domicílios visitados. Estas informações serão levantadas, a partir de agora, na Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) e na futura Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde (PNDS).

De acordo com o gerente da pesquisa, André Martins, o principal objetivo da POF é investigar os orçamentos familiares combinados com outras informações sobre as condições de vida das famílias brasileiras.

Ainda segundo o pesquisador, as principais aplicações da POF são atualizar a estrutura da pesquisa de índices de preços, analisar as condições de vida a partir do consumo e orçamento das famílias, servir de base para estudos sobre pobreza e desigualdade, a investigar a segurança alimentar e nutricional (consumo efetivo e análise da disponibilidade de alimentos).