“Robinson luta incansavelmente para diminuir insegurança”, afirma Jácome - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

21/07/2017

“Robinson luta incansavelmente para diminuir insegurança”, afirma Jácome


O deputado federal Antônio Jácome (PODE) avaliou a gestão do governador Robinson Faria (PSD) positivamente, a despeito de concordar que Robinson vem enfrentando dificuldades em duas áreas específicas: segurança e saúde. Para Jácome, o governador do Rio Grande do Norte tem lutado “incansavelmente” para melhorar como pode a situação nos dois âmbitos.

“Tenho visto esforço muito grande do governador para equacionar os grandes desafios de sua gestão que são, ao meu ver, a Segurança e a Saúde. Infelizmente, os índices de violência no estado estão terríveis, são de causar perplexidade, mas vejo que o governo Robinson luta incansavelmente para diminuir esses índices e melhorar a prestação de serviços à população”, analisou o deputado.

O parlamentar, que possui formação médica, explicou que tem se reunido com o governador, inclusive em comitivas que viajam a Brasília, para encontrar caminhos que possam melhorar e contribuir para o governo e a população potiguar. “Tenho acompanhado de perto a crise da saúde. Inclusive, tenho ido junto ao governador nas audiências em Brasília e nos ministérios da Saúde e Justiça, neste último caso para tratar da segurança”.

Crise nacional

Em entrevista ao Portal Agora RN/Agora Jornal, Antônio Jácome também comentou aspectos da crise política nacional. Depois do recesso legislativo, a Câmara dos Deputados deverá votar a autorização para que a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva tenha continuidade no Supremo Tribunal Federal (STF).

Para que o presidente possa ser processado judiciado – o que acarretaria em seu afastamento do cargo pelo prazo máximo de seis meses, podendo perder o cargo definitivamente caso seja condenado –, é preciso aval de pelo menos dois terços da Câmara Federal. De acordo com Jácome, que não esconde seu voto (a favor da denúncia), Temer não tem mais condições de seguir governando o Brasil.

“O presidente perdeu toda a condição política, ética e moral para conduzir o país. Meu voto será favorável à denúncia. Entendo que ninguém está acima da lei, e muito menos o presidente. Sabemos que ele tem uma base e um partido grande com aliados, mas vejo que essa base vai se volatizar e desaparecer ao longo dos dias, quando novas denúncias forem surgindo. Decidi pela aceitação da denúncia porque há indícios graves e acusações seríssimas. Acho que o mínimo que podemos fazer agora é autorizar o STF a realizar toda a investigação, para que a verdade e a realidade venham à luz”, determinou o parlamentar.

Podemos

O deputado Antônio Jácome lidera no Rio Grande do Norte o Diretório Estadual do Podemos, legenda recém-criada que substituiu o PTN. Além de conduzir a sigla a nível estadual, Jácome ocupa a vice-presidência nacional do partido. Em 2018, segundo o deputado, o Podemos tem pretensões audaciosas. O próprio Jácome admite que administra o projeto de tentar se reeleger como deputado federal. Quanto à sigla que defende, ele afirma que o principal plano é que os parlamentares façam mandatos participativos.

“Queremos participar, temos o projeto de que nosso site, por exemplo, tenha uma interação direta com o eleitor para sugerir nosso voto; vamos pedir sugestões para apresentação de projetos. Queremos chamar o eleitorado à reflexão neste momento crítico de profunda crise moral e ética. Além disso, não queremos que o jovem brasileiro fique indiferente e distante, como está hoje, desejamos incluí-lo. No próximo ano vamos tentar reeleger a bancada, ampliá-la e, com a chegada do senador Álvaro Dias (PODE), que se colocou à disposição para uma pré-candidatura à Presidência, o partido vai estimular e trabalhar esse pleito”, garantiu.

O Podemos possui como filiados mais de 50 vereadores eleitos no últimos pleito no Rio Grande do Norte; além deles, foram dois prefeitos, vices e mais de 100 suplentes.

Anteriormente identificada como Partido Trabalhista Nacional (PTN), a sigla mudou para Podemos, segundo Jácome com o objetivo de trazer uma mentalidade inovadora e implementar uma democracia digital no partido, que possibilitasse uma transparência maior.

“O Podemos é um movimento que tem acontecido na Europa, principalmente na Espanha. Respeitamos a ideologia de lá, que é de extrema esquerda, mas este não é nosso caso, não estamos copiando a ideologia deles no estrangeiro”, esclareceu.