Governador do RN é alvo de operação da Polícia Federal - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

15/08/2017

Governador do RN é alvo de operação da Polícia Federal


A Polícia Federal deflagrou nesta terça (15) a operação Anteros, que tem entre os alvos o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD).

Houve busca e apreensão no apartamento do governador no bairro Areia Preta e na casa da Praia de Pirangi, em Parnamirim, além das sedes da Governadoria e da Assembleia Legislativa.

Foram presos provisoriamente a assessora da Assembleia Legislativa e Magaly Cristina da Silva e o advogado Adelson Freitas dos Reis. As prisões têm prazo de cinco dias.

Ao todo, 11 mandados foram cumpridos –as duas prisões e nove buscas e apreensões. Todos foram expedidos pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

"O ministro Raul Araújo Filho, da Corte Especial do STJ, determinou que fosse iniciada investigação preliminar para apurar os crimes de organização criminosa e obstrução da Justiça que estariam sendo praticados pelo governador do Estado com ajuda de servidores estaduais", diz a PF, em nota.

Os investigadores afirmam que as manobras ilegais tinham o objetivo encobrir a apuração de atos do Executivo potiguar relativos ao desvio de recursos públicos por meio da inclusão de funcionários fantasmas na folha de pagamento da Assembleia Legislativa do Estado entre os anos de 2006 até os dias atuais.

A Operação Anteros é um desdobramento da Operação Dama de Espadas, de 2015, que investigava um esquema de funcionários fantasmas Assembleia Legislativa e resultou na prisão da então procuradora da Assembleia Legislativa, Rita das Mercês. Robinson Faria foi presidente do Legislativo estadual por quatro biênios, entre 2003 e 2010.

A operação é decorrente de uma delação premiada que envolve todos os poderes do Rio Grande do Norte, Executivo, Legislativo e Judiciário, além de parcela significativa dos empresários de Natal.

A funcionária presa, Magaly Cristina da Silva, é coordenadora do projeto Assembleia Cidadã e havia sido citada na Dama de Espadas como beneficiada de recursos desviados do Poder Legislativo por meio de funcionários fantasmas na folha de pagamento, entre 2006 e 2011.

O gabinete dela na Assembleia foi revistado por policiais federais, que recolheram documentos e mídias para análise. Procurada, a Assembleia ainda não se manifestou sobre o caso.

Já advogado Adelson Freitas dos Reis, aposentado pela Assembleia Legislativa como assessor técnico, também foi preso. Ele ocupa, atualmente, cargo no Gabinete Civil do Estado e é apontado como um dos assessores mais próximos do governador Robinson Faria.