Sem Bolsonaro, PSC aposta no presidente do BNDES para disputar eleição - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

15/08/2017

Sem Bolsonaro, PSC aposta no presidente do BNDES para disputar eleição


Após descartar a candidatura de Jair Bolsonaro (PSC-RJ) à Presidência da República em 2018, o Partido Social Cristão (PSC) escolheu o nome do presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, para disputar o cargo pela legenda no próximo ano. A notícia foi dada por Castro durante um jantar particular com empresários e políticos, no Rio de Janeiro, na última quarta-feira (9).

Em 2014, a sigla lançou o atual presidente do partido, pastor Everaldo, que na corrida presidencial daquele ano terminou em 5º lugar. De acordo com Everaldo, o presidente do BNDES era filiado ao Partido Novo e, após ser convidado pelo PSC, desfiliou-se daquela legenda.

“O Brasil está precisando de uma proposta diferente. Convidamos, ele [Paulo Rabello de Castro] se desfiliou [do Partido Novo] e estamos aguardando ele se filiar ao PSC. O nome dele já foi conversado com boa parte dos membros do partido e foi muito bem recebido”, disse o pastor Everaldo ao Congresso em Foco na tarde desta segunda-feira (14).

De acordo com o pastor, a sigla já sondava Castro há alguns meses. Agora, a legenda aguarda a filiação do presidente do BNDES para apresentar seu nome oficialmente e aprovar em convenção.

Castro foi escolhido pelo presidente Michel Temer, em maio deste ano, para assumir presidência do BNDES no lugar de Maria Silvia Bastos Marques, que havia pedido demissão. Economista, ele também foi presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cargo assumido por nomeação de Temer.

Durante sua passagem pelo IBGE, Castro sofreu críticas de analistas pelas mudanças nos critérios das pesquisas para medir o desempenho dos setores de serviços e comércio. Após a implantação das mudanças, os resultados mostraram um melhor desempenho dos setores do que os projetados no início do ano.

Bolsonaro

Sem apoio da legenda, Bolsonaro acertou sua transferência para o Partido Ecológico Nacional (PEN) no último mês e deve oficializar sua filiação nas próximas semanas. Após a recusa da legenda em lançá-lo à Presidência, o parlamentar passou a busca uma legenda que desse o aval para que ele pudesse entrar na disputa pelo cargo do Planalto. Na corrida presidencial, Bolsonaro já anda fazendo viagens pelo país todo para divulgar sua pré-campanha, promovendo encontros, passeatas e outros eventos para reunir seu público.

A saída de Bolsonaro do PSC foi antecipada em novembro do ano passado pelo Congresso em Foco. A relação do parlamentar com o presidente da sigla, Pastor Everaldo, que disputou a eleição presidencial em 2014, estava desgastada. Everaldo resistia a garantir ao deputado legenda para concorrer ao Planalto em 2018. Bolsonaro também estava contrariado com a coligação do PSC com o PCdoB e o PT em alguns municípios em 2016.

Em junho, pesquisa realizada pelo Datafolha apontava o deputado Jair Bolsonaro em segundo lugar nas intenções de voto, perdendo para o o ex-presidente Lula (PT), em todos os cenários, na liderança da disputa presidencial. Na ocasião Lula tinha 29% a 30% das intenções de voto, seguido por Jair Bolsonaro (PSC), com 16%, e Marina Silva, com 15%.