Sindicato dos Médicos sugere medidas para combater criminalidade no RN - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

11/08/2017

Sindicato dos Médicos sugere medidas para combater criminalidade no RN

Imagem: José Aldenir 
Pouco menos de 24 horas depois de um médico de 87 anos ter sido baleado no rosto durante um assalto a uma farmácia na zona Leste de Natal, o Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed-RN) emitiu nota repudiando a violência que está em crescente no estado. Assinada pelo presidente da entidade, a nota cobra diversas ações por parte do Governo Estadual e dos poderes da República na intenção de diminuir os índices de criminalidade no território potiguar, que vem causando grande sensação de medo na população.

Apesar da cobrança, o Sinmed admitiu que os números de assassinatos, por exemplo, são uma crescente nacional, muito embora também admita que “no Rio Grande do Norte, os níveis alcançaram patamares inauditos após as fugas de Alcaçuz que despejaram nas ruas da capital centenas de presos de alta periculosidade, ainda não recapturados. Assassinatos, roubo de carros e motos e arrastões colocam toda sociedade em sobressalto e exigem que soluções sejam encontradas para coibir a violência e impedir o luto que hoje se espalha pelas famílias de nosso povo”, diz.

Entre as medidas que o Sindicato cobrou do poder público para que a violência diminua no RN estão a ideia de que a polícia seja equipada, armada, treinada e esteja em número suficiente para enfrentar o crime organizado; que o judiciário seja rápido na aplicação rigorosa da lei e a pena imposta duramente para permitir o combate à violência e retirar da sociedade os criminosos que a ameaçam; e que a pena seja efetivamente cumprida pelos criminosos, que eles sejam punidos e não fiquem com a sensação de que o crime compensa.

Além disso, o Sindicato também pede que o legislativo aperfeiçoe as leis com penas severas, e que os criminosos de qualquer idade sejam adequadamente punidos por seus crimes; que seja desmantelado o crime organizado e as quadrilhas que hoje infestam o estado; que sejam colocadas barreiras policiais nas principais saídas de Natal para não permitir fugas de criminosos; e que rondas e patrulhas circulem pelas ruas, para mostrar a disposição do governo de enfrentar o crime, e possam reagir e enfrentar os criminosos.

Também é exigido pela categoria médica que se decrete estado de calamidade na segurança pública e que forças tarefas sejam montadas para frear a situação de “descontrole” atual; que o julgamento pelo judiciário e a punição dos crimes seja célere, dura e certa para o criminoso sentir que o crime não compensa; e, por fim, que seja combatido o tráfico de drogas, com implementação de vigilância e abordagem sobre ônibus, vans, motos ou carros suspeitos, a qualquer outra, para retirar de circulação os criminosos de alta periculosidade.