Bancada federal pede ao presidente dos Correios a permanência dos bancos postais no RN - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

06/09/2017

Bancada federal pede ao presidente dos Correios a permanência dos bancos postais no RN


Em audiência com o presidente dos Correios, Guilherme Campos, parlamentares da bancada do Rio Grande do Norte solicitaram a permanência dos bancos postais nos municípios potiguares. Recentemente, a direção do órgão anunciou o fechamento de agências dos Correios e a retirada de vigilantes armados em agências de todo o país.

No encontro, o coordenador da bancada federal, deputado federal Felipe Maia (DEM), a deputada Zenaide Maia (PR) e a senadora Fátima Bezerra (PT) entregaram um documento reforçando a necessidade de se manter os correspondentes bancários no estado.

“Os serviços oferecidos pelos correspondentes bancários do Banco do Brasil são de suma importância para a população, já que promovem a circulação de recursos dentro dos municípios do RN. São mais de 170 bancos postais espalhados em todo o estado que estão correndo o risco de fecharem as portas, são milhares de empregos em jogo. Não queremos permitir a descontinuidade dos serviços prestados à população, apenas pelo fato de não ter vigilantes nos bancos”, enfatizou Felipe Maia.

O parlamentar destacou que, o fechamento dessas instituições se dará também devido a situação de insegurança no RN. “As ações criminosas constantes exigem que os bancos postais possuam vigilantes armados para proteger tanto os funcionários, quanto os usuários dos serviços. Mas, infelizmente, os Correios não possuem mais recursos para manter esses profissionais. Pedimos ao presidente esforços da instituição junto ao Banco do Brasil, para que seja firmado um acordo com a finalidade de que se mantenham os vigilantes nos bancos postais, fazendo com que os serviços continuem a ser oferecidos aos potiguares”, afirmou o parlamentar.

Em decisão recente, os Correios e o Ministério Público do RN firmaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que prevê a restrição do funcionamento de bancos postais às agências que possuam vigilantes armados. O TAC foi assinado em uma tentativa de diminuir os assaltos com mortes que ocorreram em diversas agências.