Em protesto contra salários atrasados, delegacias suspendem atendimento no RN - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

24/10/2017

Em protesto contra salários atrasados, delegacias suspendem atendimento no RN


Em protesto contra o atraso dos salários, delegacias distritais e especializadas de Natal e do interior do Rio Grande do Norte suspenderam o atendimento aos cidadãos na manhã desta terça-feira (24). Na capital potiguar, quem precisou fazer algum boletim de ocorrência teve que procurar as unidades de plantão.

Servidores fizeram uma manifestação e foram à sede do Governo do RN, no bairro Candelária, Zona Sul da capital, onde havia cruzes fincadas no chão. Além dos policiais civis, participaram do protesto policiais militares e bombeiros, servidores da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte e outras categorias.

Os salários de setembro ainda não foram todos pagos. No dia 11, receberam os servidores que ganham até R$ 2 mil. Somente após o dia 15, foi a vez dos que recebem entre R$ 2.001 e R$ 3 mil. Os funcionários da Educação e dos órgãos de administração indireta, que contam com recursos próprios, estão recebendo na data certa, independente do valor dos vencimentos.


Já os trabalhadores e pensionistas da administração direta que recebem acima de R$ 3 mil não receberam. Eles representam 32% dos servidores públicos estaduais.

O governo anunciou nesta terça (24) que vai pagar no dia 30 quem recebe até R$ 4 mil. Quem tem salário superior a esse valor ainda não tem prazo para receber.

Na manhã desta terça, na 5ª Delegacia de Polícia Civil, em Lagoa Nova, havia apenas um policial. Já na Delegacia Especializada em Roubos de Veículos havia agentes, mas eles também aderiram à mobilização. Quatro horas após ter o carro roubado no bairro Pitimbu, na Zona Oeste de Natal, uma mulher ainda não havia conseguido registrar a ocorrência, por volta das 10h.

Delegacias da região metropolitana de Natal, como é o caso de Macaíba, fecharam as portas. Na região Seridó potiguar, as delegacias também não funcionaram, como em Caicó.

"Este ato do dia 24 é uma manifestação contra os atrasos de salários, que afetam todos os servidores públicos do Rio Grande do Norte, mas estamos atentos e atuando em outras demandas para garantir os direitos conquistados das categorias que representamos, bem como traçar novas estratégias das nossas lutas", afirmou Nilton Arruda, presidente do Sindicato dos Policiais Civis do RN.

Além da reivindicação pelo pagamento dos salários em dia, os policiais militares também se posiciona contra o pacote de medidas econômicas recém enviado pelo Governo do Estado à Assembleia Legislativa do RN. De acordo com o presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN, Eliabe Marques, as propostas enviadas pelo Executivo inviabilizam as carreiras do serviço público estadual, à medida que extinguem a possibilidade do plano de carreira.


“Nossas reivindicações são justas e necessárias, visto o prejuízo moral e financeiro que vêm sofrendo os policiais e bombeiros militares”, reforça o subtenente Eliabe Marques. A categoria defende que o pagamento salarial seja realizado até o último dia útil do mês, como estabelece o artigo 28 da Constituição Estadual.

Crise

O pagamento dos salários do funcionalismo público estadual vem sofrendo escalonamentos, mudanças de datas e atrasos desde o final de 2014, ainda na gestão da então governadora Rosalba Ciarlini. Desde então, os servidores não têm certeza de quando irão receber, uma vez que o calendário só é divulgado poucos dias antes de a folha começar a ser paga. O governo alega dificuldades financeiras para honrar em dia o pagamento em razão da crise econômica que afeta o país.