Governo estuda parceria para capacitar árbitros - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

25/10/2017

Governo estuda parceria para capacitar árbitros


O Governo Federal, por meio da Secretaria de Políticas da Promoção da Igualdade Racial, estuda uma parceria com a CBF para capacitar os árbitros na identificação de casos de injúria racial e racismo nos estádios. A ideia é que o tema faça parte do programa de formação dos árbitros a partir do ano que vem. “O árbitro é o principal responsável por identificar os casos e registrá-las na súmula”, diz o secretário Juvenal Araújo.

O órgão pretende atuar também junto aos clubes e às torcidas organizadas, fazendo um trabalho de conscientização. O secretário reconhece que ainda precisam ser criados mecanismos para a ação e o formato ainda não está definido. “Temos de pensar na criação de mecanismos de conscientização”, afirma.

A introdução do tema na formação dos árbitros representa uma inovação. Em São Paulo, por exemplo, os árbitros estudam ao longo de um ano e meio. Eles estudam as 17 regras do futebol, fazem cursos práticos e um estágio supervisionado no qual trabalham nas categorias de base. Anualmente são submetidos a avaliações teóricas e orais, além de testes físicos, médicos, psicológicos”.

As dimensões psicológica e emocional recebem atenção especial. O objetivo é integrar os pilares físico, técnico, mental e social, além de um bom preparo físico. Tudo para ter maior confiança para tomar a decisão correta.

A Uefa (União Europeia de Associações de Futebol) promove anualmente cursos de inverno para árbitros e auxiliares, sejam experientes ou iniciantes, que trabalharão nas competições europeias de clubes e seleções. Durante o curso de uma semana, repassam, na teoria e na prática, todas as regras do futebol e suas interpretações, analisam vídeos com situações ocorridas em jogos, trocam experiências e opiniões e são submetidos a testes médicos e físicos. O tema “racismo” não é um tópicos do programa e vem sendo explorado esporadicamente.

No “caso Aranha”, episódio em que o goleiro do Santos foi xingado de “macaco” na Arena Grêmio, em 2014, o árbitro Wilton Pereira Sampaio acabou punido. Durante a partida, ele não interrompeu a partida após as reclamações do goleiro. Sampaio alterou a súmula da partida, incluindo as reclamações, após o jogo.