Jogadores do ABC rejeitam proposta, exigem salários e prometem não jogar sábado - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

26/10/2017

Jogadores do ABC rejeitam proposta, exigem salários e prometem não jogar sábado


A assembleia-retorno realizada ao longo da tarde desta quarta-feira, 25, no escritório do advogado Felipe Augusto Leite, presidente do Sindicato dos Atletas de Futebol Profissional do Estado do Rio Grande do Norte (SAFERN), foi finalizada sem que os jogadores do ABC, que estão em greve desde a última segunda-feira, 23, aceitassem a proposta do clube para retornarem aos trabalhos já na manhã desta quinta-feira, 26, no CT Alberi Ferreira de Matos, em Ponta Negra. 

Na reunião do elenco com o Sindicato, a entidade apresentou a proposta feita pelo clube para que os atletas retomassem os trabalhos imediatamente. No documento, que foi anexado na Ata da Assembleia, a diretoria abecedista apresentou todas as receitas que o clube terá nas próximas semanas (R$ 1,5 milhão, frutos de antecipação de cotas de patrocínio da Caixa, além das participações nas Copas do Nordeste e do Brasil de 2018) e relacionou também as despesas atuais, que totalizam, sem os salários, R$ 1,3 milhão. 

A proposta dos dirigentes alvinegros era dar plena quitação aos direitos de imagem, previdência social e auxílio-moradia referentes aos meses de junho, julho, agosto, setembro e outubro, com a contrapartida que os atletas voltassem a treinar na quinta-feira. No entanto, os jogadores recusaram a oferta da direção e disseram que só aceitam retomar os trabalhos mediante o pagamento dos próprios salários, bem como dos direitos de imagem relativos aos meses em atraso.


Diante da recusa dos atletas, o presidente do SAFERN afirmou que, enquanto não for apresentada a proposta conforme exigência dos jogadores, o elenco vai se negar a entrar em campo na partida agendada para o próximo sábado, 28, contra o Londrina-PR no Estádio Frasqueirão, em duelo válido pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Em contato com a Rádio Globo Natal, o advogado do ABC, João Maria Trajano, disse a resposta negativa dos atletas, no entanto, não será pacificamente aceita pelo clube, e prometeu, caso os jogadores não voltem ao trabalho nesta quinta, “recorrer em todas as instâncias”. 

W.O PODE CUSTAR CARO 

Não bastasse a deflagração do estado de greve por parte dos jogadores, o ABC poderá ainda ser punido com o pagamento de uma multa no valor de até R$ 100 mil caso os atletas realmente não entrem em campo no próximo sábado. A informação retratada está embasada no artigo 203 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que trata sobre “deixar de disputar, sem justa causa, partida, prova ou o equivalente na respectiva modalidade, ou dar causa à sua não realização ou à sua suspensão.” A pena prevista para esta infração está estipulada entre R$ 100 e R$ 100 mil, além da perda dos pontos em disputa a favor do adversário. Neste segundo caso, se caracterizaria o popular Walkover (W.O.), onde o Londrina-PR terminaria sendo beneficiado com uma vitória no placar de 3 a 0.