PSDB tira relator pró-Temer de comissão que analisa denúncia - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

05/10/2017

PSDB tira relator pró-Temer de comissão que analisa denúncia


O PSDB decidiu retirar da CCJ o deputado Bonifácio de Andrada (MG), escolhido para ser o relator da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer. A cúpula do partido se reuniu com Andrada no início da tarde desta quinta-feira (5), na tentativa de convencer o deputado a se licenciar temporariamente do partido. No encontro, Andrada teria reiterado seu interesse em se manter na relatoria da denúncia e os dirigentes do partido expuseram as dificuldades da bancada em aceitar a decisão.

A intenção é evitar que o relatório de Andrada, que seria favorável ao presidente peemedebista, seja vinculado à imagem do PSDB, que tem se preocupado com as eleições de 2018. A ideia é que Andrada permaneça na relatoria, mas na vaga de outro partido. Outras legendas, inclusive, já teriam manifestado interesse em ceder vaga, como PP, PR e PMDB.

“Ele [Bonifácio] entendeu a dificuldade de relatar essa matéria pelo PSDB, em função das divergências internas que nós temos na bancada. A partir desse momento, se encontrou um caminho, que o presidente da CCJ teria interesse em tê-lo em uma outra bancada que não fosse a do PSDB, e assim ele poderia relatar a matéria", informou Ricardo Trípoli, líder do PSDB na Câmara, após a reunião

"Dessa forma, nós estamos construindo esse documento que será encaminhado ao presidente da CCJ, onde essa vaga do suplente ocupada pelo deputado Bonifácio será desocupada por ele. Estamos aguardando que o presidente da CCJ diga qual vaga que ele ocupará, para que ele faça o relatório”, completou Trípoli.

A liderança do PSDB na Câmara informou que encaminhou à CCJ o pedido para que o deputado Bonifácio de Andrada desocupe a vaga de suplente do partido na comissão, sugerindo ao presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), que Andrada exerça a função de relator na vaga de outro partido.

Em nota de resposta, o presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco, afirma que a escolha de Bonifácio como relator "teve critérios próprios e já amplamente divulgados, sem motivação partidária". Ele reitera que manterá Andrada na relatoria, em qualquer partido.