Bancada federal reage a boatos de omissão por recursos ao RN - Joabson Silva

NOVAS

27/12/2017

Bancada federal reage a boatos de omissão por recursos ao RN


Parlamentares da bancada federal do Rio Grande do Norte em Brasília, se pronunciaram acerca da possível suspensão do envio de recursos federais na ordem de R$ 600 milhões para socorrer financeiramente o estado.

O deputado federal Walter Alves (MDB-RN) informou hoje (26) que, diante do veto do Ministério da Fazenda sobre o repasse de recursos do Orçamento para o Rio Grande do Norte, coloca o mandato à disposição do Governo do Estado no intuito de viabilizar uma solução para o problema.

Walter Alves lembra que, na última semana de atividades no Congresso Nacional, atuou ao lado do deputado federal Fábio Faria (PSD), na elaboração da medida provisória que garantiria o repasse da verba para o Rio Grande do Norte. “Estivemos e estaremos sempre disponível para ajudar o estado no que for necessário”, completa.

O líder da bancada federal, Felipe Maia (DEM), afirmou que se tratava de boato, uma possível articulação da bancada para prejudicar o estado. “Esta boataria é regressão e não levará nosso estado ao patamar que tanto desejamos e por qual lutamos. Só quem pagará este conta, novamente, serão os funcionários públicos estaduais. A bancada tem agido, de acordo com a sua competência, sendo provocada ou não, para ajudar o estado, neste momento de desiquilíbrio financeiro”, anunciou Maia.

SENADO

O senador Garibaldi Alves Filho afirmou que falou a pouco por telefone com o presidente Michel Temer, o qual explicou que parecer do Tribunal de Contas da União (TCU) inviabilizou a edição da Medida Provisória que transferiria recursos financeiros para o Governo do RN. A não observância do parecer levaria o governo a incorrer em crime de responsabilidade fiscal. Ao lamentar o episódio, o Presidente da República afirmou que a área econômica examina outras alternativas . Garibaldi informou o teor dessa conversa ao governador Robinson Faria.

A senadora petista, Fátima Bezerra, também e manifestou em uma rede social, em que afirmou se tratar de irresponsabilidade, o parecer do MP de Contas. “A alegação de crime de improbidade administrativa, deixa toda a sociedade potiguar apreensiva. Júlio Marcelo é o mesmo que presenteou Michel temer e seus seguidores adesistas com um parecer irresponsável, que indicava as pedaladas fiscais da presidenta Dilma”, destacou Bezerra.

O senador José Agripino, também se pronunciou contra boatos que tenha estado com algum membro do TCU para inviabilizar a transferência para o Tesouro Estadual. “Repilo veementemente esta calúnia que, além de me atribuir a força que eu não teria para cometer a perversidade que tentam me atribuir, me imputa a desinteligência de adotar procedimentos que estariam me colocando na contramão da relação positiva que eu sempre tive com o funcionalismo do RN. Reafirmo minha determinação em continuar solidário com a ação desenvolvida pelo presidente da Câmara dos Deputados, meu companheiro de partido, para que se encontre solução ao impasse criado e que está retardando a liberação dos anunciados recursos, os quais desejo que cheguem e atendam às justas expectativas dos servidores. Servidores que, tenho certeza, desejam continuar a servir à sociedade potiguar”, concluiu Agripino.