Cela reservada a Maluf na Papuda tem 30 metros e vaga para dez presos - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

22/12/2017

Cela reservada a Maluf na Papuda tem 30 metros e vaga para dez presos


O deputado Paulo Maluf (PP-SP), 86, já tem uma cela reservada no presídio da Papuda (DF). O parlamentar está preso provisoriamente em São Paulo e aguarda sua transferência para Brasília, determinada pela Justiça.

De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP) do DF, a cela em que Maluf deve ficar é coletiva, tem aproximadamente 30 metros quadrados e tem capacidade para abrigar até dez internos.

O local possui camas do tipo beliche, chuveiro e vaso sanitário.

A secretaria não informou quantos ocupantes já estão na cela.

O deputado terá direito a quatro refeições diárias (café da manhã, almoço, jantar e lanche noturno) e duas horas de banho de sol, como todos os outros presos.

Ele poderá cadastrar até dez pessoas para visitas, sendo nove familiares e um amigo -os advogados têm direito a acesso a qualquer momento.

A cela fica na ala B da Papuda, no bloco 5, que reúne “internos que, legalmente, possuem direito de custódia em locais específicos, como ex-policiais, idosos, políticos, além de custodiados com formação de ensino superior”, segundo informações da SSP.

O local conta com “equipe médica multidisciplinar, composta por médicos, psicólogos e dentistas, por exemplo” e, em caso de necessidade, “os custodiados podem ser encaminhados a unidades de saúde fora dos presídios”.

Antes de ir para a cela, Maluf passará por exame de corpo de delito.

Ainda não há previsão do horário e dia da transferência do parlamentar de São Paulo para Brasília. Sua defesa entrou com recurso, pedindo para que ele possa cumprir prisão domiciliar, na capital paulista. A ministra Cármen Lúcia, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), é quem vai analisar a solicitação.

REGIME FECHADO

O ministro Edson Fachin, do STF, determinou na terça (19) que Maluf começasse a cumprir pena em regime fechado e perdesse o mandato.

Em maio, o parlamentar foi condenado pela primeira turma do STF a sete anos, nove meses e dez dias de prisão em regime fechado por crimes de lavagem de dinheiro. Ele também foi condenado à perda do mandato e ao pagamento de 248 dias-multa no valor de cinco vezes o salário mínimo vigente à época dos fatos, aumentada em três vezes.

Maluf se entregou na manhã de quarta (20), após negociação com a Polícia Federal.