Em uma semana sem polícia na rua, RN tem 50 homicídios e mais de 360 roubos - Joabson Silva

NOVAS

26/12/2017

Em uma semana sem polícia na rua, RN tem 50 homicídios e mais de 360 roubos


Em uma semana sem policiamento nas ruas, o Rio Grande do Norte registrou 50 homicídios, de acordo com o Observatório da Violência Letal Intensional (OBVIO) - instituto que contabiliza crimes deste tipo no estado. Somente na região metropolitana de Natal, nesse mesmo período, aconteceram 163 roubos de carros. Ao todo, foram 360 crimes contra o patrimônio, segundo dados da Secretaria de Segurança do Estado.

Desde a terça-feira (19), em protesto contra atrasos de salários e falta de condições das viaturas, do material de proteção e das armas, policiais militares estão aquartelados. A Polícia Civil também passou a atuar em regime especial, apenas nas delegacias de plantão e regionais, desde a última quarta-feira (20). A situação levou o governo estadual a pedir reforço da Força Nacional, que enviou 70 homens e mulheres para o estado.

No último final de semana, entre a sexta (22) e o feriado desta segunda (25), 34 pessoas foram vítimas de homicídio no estado. Entre os crimes, houve o assassinato de um secretário em São José do Campestre. Em Mossoró, houve o duplo homicídio de mulheres, e uma criança de 1 ano e 11 meses foi baleada.

Crescimento

Somando os casos desde a última terça (19), há um total de 50 mortes registradas no estado, desde que os policiais deixaram o trabalho ostensivo. A maioria dos casos aconteceu em Mossoró, na região Oeste. Lá, foram 12. A capital potiguar ficou em segundo lugar no número de crimes deste tipo, com 11 mortes, segundo o Óbvio.

No mesmo período do ano passado, ainda de acordo com o OBVIO, foram registrados 35 homicídios - o que significa um aumento de 35% na relação entre os dois períodos.

Entre os estabelecimentos saqueados, está uma farmácia e uma loja de ferramentas. Segundo a PM, criminosos tentaram arrombar o cofre da farmácia, porém, como não conseguiram, acabaram levando alguns produtos. Já da loja de ferramentas, foram roubadas furadeiras.

Um loja de motos também sofreu arrombamento, porém os bandidos não conseguiram levar nada.

Paralisação continua

Mesmo após decisão da desembargadora Judite Nunes, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, que considerou a paralisação ilegal, policiais e bombeiros militares do Rio Grande do Norte continuaram fora das ruas nesta terça-feira (26). Além do pagamento dos salários atrasados, eles também reivindicam melhores condições de trabalho.

Ajuda suspensa

O governo chegou a anunciar data de pagamento dos salários de novembro, dezembro e 13º, após combinar uma ajuda financeira de R$ 600 milhões com o Ministério da Fazenda. Porém, também nesta terça (26), o governo federal confirmou que vetou o valor após uma recomendação do Ministério Público de Contas da União que considerou o repasse inconstitucional.