PSDB fecha questão a favor da Reforma da Previdência - Joabson Silva

NOVAS

14/12/2017

PSDB fecha questão a favor da Reforma da Previdência


O governo segue em busca de apoio - e de votos - para votar a Reforma da Previdência ainda este ano. Pela manhã o presidente Michel Temer recebeu prefeitos no Palácio do Planalto. E o PSDB decidiu fechar questão a favor da Reforma. No Palácio do Planalto a quarta (12) começou com mais uma força-tarefa do governo em busca de apoio à Reforma da Previdência.

O presidente Michel Temer e ministros se reuniram com prefeitos. O governo vai liberar ainda este ano R$ 2 bilhões para as prefeituras. O presidente da Confederação Nacional dos Municípios disse que a maioria dos prefeitos é a favor da aprovação da Reforma da Previdência. E que esse apoio não é em troca do dinheiro e sim uma obrigação.

"Por que que é obrigação apoiar a reforma da Previdência? É uma obrigação como gestor.
Está faltando para a saúde, educação, para o meio ambiente, para sustentar a gestão dele, disse o presidente da Confederação Nacional dos Municípios Paulo Ziulkoski.

O presidente Michel Temer reconheceu que o tempo é curto e pediu empenho dos prefeitos para a proposta ser aprovada ainda este ano. "Comecem a manter contato com colegas, deputados senadores. Dizendo olha meu caro, A sociedade quer , a sociedade precisa, ninguém será a apenado em função disso. Se nos aprovarmos a reforma da Previdência o país dará um salto.

Todos os dias é feito um mapeamento dos votos. Na quarta (13), o PSDB - que tem 46 deputados - decidiu fechar questão - para que toda a bancada vote a favor da proposta. Porém, o partido não vai punir quem não seguir a orientação. Essa foi a primeira reunião da executiva com o novo presidente do partido, Geraldo Alckmin.

Nesta quinta (14), começa a análise da reforma na Câmara. É o que está certo até agora. Se a votação vai ser ou não na semana que vem, é uma decisão que ainda será tomada pelo governo junto com o presidente da Câmara Rodrigo Maia. As discussões no Plenário vão funcionar como um termômetro. A data de votação só vai ser marcada quando houver uma margem favorável de votos.

"Trezentos e trinta é um bom número para ir a voto, para ter uma margem de segurança. Mas pode ter certeza que no dia que eu der uma data, pode ter certeza que a Reforma da Previdência vai ser aprovada", diz o presidente da Câmara Rodrigo Maia.