Conselho contabiliza mais de 5 mil profissionais de Educação Física no RN - Joabson Silva

NOVAS

31/01/2018

Conselho contabiliza mais de 5 mil profissionais de Educação Física no RN


Orientar, planejar e acompanhar a prática de exercícios físicos de um indivíduo ou grupo, que pode ser desde recém-nascidos acompanhados dos responsáveis à terceira idade. Para quem não sabe, essa é a principal função do profissional de Educação Física.

Embora haja algumas pessoas desempenhando tais atividades, de forma ilegal, principalmente nas academias de musculação e ginástica, o Conselho Regional de Educação Física da 16ª Região (CREF16) comemora o registro de 5 mil profissionais no Rio Grande do Norte, devidamente habilitados e aptos a exercer a atividade.

De acordo com a diretora administrativa do CREF16, Cise Diógenes, a intenção é que esse número cresça a cada ano, fortalecendo a categoria e favorecendo ainda mais à população que busca uma atividade física. “Fico muito grata de saber que o nosso trabalho foi intensificado, mostrando à população a importância do profissional graduado e registrado no Conselho”.

Segundo ela, apesar disso, é lamentável que pessoas sem estudo, capacitação e registro profissional ainda exerçam as atividades em academias, clubes, estúdios, escolinhas e afins. Para tanto, o CREF16 vem desempenhando uma fiscalização de rotina em todo o Estado, através de denúncias de profissionais e da própria sociedade.

Antes de tudo, para se tornar um profissional de Educação Física — seja por meio da licenciatura, seja no bacharelado —, é necessário cursar uma graduação na área. Com uma média de quatro anos de duração, esse é um curso que coloca o aluno em contato com disciplinas das Ciências Biológicas, tais como bioquímica, fisiologia e anatomia e demais campos que lidam com a movimentação corporal, como é o caso de cinesiologia.

Apesar de ser considerada uma profissão regulamentada há cerca de 20 anos, a Educação Física chegou às escolas brasileiras por volta de 1851, através do projeto realizado por Couto Ferraz. Entretanto, Ruiz Barbosa foi quem defendeu no ano de 1882, a obrigatoriedade da Educação Física no currículo escolar para ambos os sexos.