Videomonitoramento em Natal gerou mais de 2,8 mil multas só no ano passado - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

23/01/2018

Videomonitoramento em Natal gerou mais de 2,8 mil multas só no ano passado


O número de multas de trânsito aplicadas através do sistema videomonitoramento nos principais corredores urbanos de Natal, iniciado em 10 de setembro, foi, em 2017, de 2.832 infrações, segundo levantamento do Agora RN realizado com informações da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU). Tal qual os “olhos” do Big Brother Brasil, que inicia hoje a sua 18° edição, as câmeras fiscalização estão sempre à espreita de motoristas violadores do Código Nacional de Trânsito.

Pelas quatro regiões administrativas de Natal, a STTU observa imagens de 54 câmeras de monitoramento do tráfego – sendo 32 da própria secretaria e outras 22 da Guarda Municipal. Segundo o diretor de fiscalização do órgão, Rogério Leite, o sistema apresentou uma média de 25 multas por dia, ou, dentre espaço de tempo, um caso a cada 60 minutos. “Os agentes só trabalham das 8h até 18h”, informa.

Do total de multas, até o dia 31 de dezembro, as câmeras flagraram 1.030 veículos em estacionamento sobre o passeio, o que representou 36% das violações de trânsito registradas. “Foi o líder do infrações em todo o período”, salienta Rogério Leite.

O segundo lugar em infrações, com um total de 815 casos, foi o de estacionar em local proibido, que representou 28,7% das infrações. O terceiro maior volume de transgressões, retorno em lugar proibido, somou 581 casos.

Os pontos com maior número de infrações ficam nos corredores que permeiam as regiões Leste e Oeste, como as avenidas Deodoro da Fonseca, Prudente de Morais, Hermes da Fonseca e Afonso Pena.

As câmeras têm alcance de 500 metros em cada um pontos de monitoramento. Ao todo, são 36 cruzamentos “espiados” pelos agentes de trânsito, na Central de Monitoramento STTU. As imagens coletadas, de alta resolução, garantem a identificação do veículo, como placa, modelo e cor. “A fiscalização segue o mesmo padrão do trabalho que é feito nos cruzamentos de Natal”, aponta.

Ainda de acordo o secretario de fiscalização, a STTU não possui o valor total das multas aplicadas no período. “As infrações são registradas, analisadas e encaminhadas para cobrança. Muitas delas ainda nem chegaram às casas dos infratores”, explica.

Além disso, o motorista pode ingressar com um recurso, através de processo administrativo, na Junta Administrativa de Recursos de Infrações (Jari) da Secretaria de Mobilidade. O órgão analisa a demanda e, dependendo do resultado, pode, inclusive, cancelar a multa.

As imagens coletadas ficam registradas nos servidores da órgão por até 30 dias. Após este prazo, seguindo uma determinação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), as imagens são apagadas. As câmeras podem, inclusive, registrar casos como o uso do celular durante o ato de dirigir e a não utilização do cinto de segurança serão flagradas pelo sistema.