Zoológico, Safári e Jardim Botânico são fechados em SP após morte de macaco - Joabson Silva

NOVAS

23/01/2018

Zoológico, Safári e Jardim Botânico são fechados em SP após morte de macaco


O Zoológico de São Paulo, o Zoo Safári e o Jardim Botânico serão fechados temporariamente a partir desta terça-feira, 23, na capital paulista, após a confirmação de que um macaco bugio morreu de febre amarela na região.

A medida, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, é preventiva depois que a morte do animal em decorrência da doença foi confirmada na segunda-feira, 22.

De acordo com informações iniciais, o macaco morto foi encontrado pelo pessoal de vigilância do Zoológico de SP, na área do Parque Estadual Fontes do Ipiranga, um grande complexo de Mata Atlântica que engloba o próprio Zoológico, o Zoo Safári e o Jardim Botânico.

Ainda segundo a pasta, quatro novos distritos da Zona Sul da capital foram incluídos na campanha de vacinação que se inicia nesta quinta-feira, 25. São eles: Jabaquara, Cidade Ademar, Cursino e Sacomã. Com a ampliação da população-alvo da campanha, mais de 9 milhões de pessoas deverão ser vacinadas no estado de São Paulo.

VACINAÇÃO

A imunização contra febre amarela em SP começa quinta, com senha em domicílio. Após registrar longas filas em busca da vacina da febre amarela, além de casos de desabastecimento, a Prefeitura de São Paulo passará a distribuir senhas nas casas dos paulistanos na próxima fase da campanha de vacinação, que foi antecipada para quinta-feira.

Anteriormente, a gestão municipal havia informado que a imunização ocorreria a partir de sexta-feira, 26, por causa do feriado dos 464 anos do Município. No interior, várias cidades também alteraram esquema de imunização.

MORTES

O número de mortes confirmadas por febre amarela no Estado de São Paulo subiu para 36, conforme boletim divulgado na noite de sexta-feira, 19, pela Secretaria Estadual da Saúde.

O número é 71% maior do que o registrado no balanço da semana passada, quando a pasta relatou 21 óbitos. Os levantamentos se referem aos registros de janeiro de 2017 até agora. Enquanto isso, outras três pessoas morreram por reação à vacina.