Com alto número de roubos de carros, preços de seguros sobem no estado - Joabson Silva

NOVAS

02/02/2018

Com alto número de roubos de carros, preços de seguros sobem no estado


A alta no número de roubos de veículos fez com que o valor dos seguros disparasse no Rio Grande do Norte nos últimos meses. Com o avanço da criminalidade, proprietários de automóveis estão cada vez mais preocupados com a segurança, e como neste caso vale a lei do mercado, com o aumento da procura, os preços sobem.

O corretor Jaques Andrade conta que, na sua empresa, a procura dos clientes por seguros aumentou cerca de 70% em janeiro, com relação ao mesmo período do ano passado. Por conta disso, diz o empresário, as seguradoras reajustaram os prêmios em até 30%.

“Antes, as pessoas se preocupavam mais com batidas do que com roubos, mas a insegurança se tornou uma preocupação maior. Está havendo um aumento geral da procura mesmo tendo havido crescimento nos valores”, ressalta o empresário, que é diretor-secretário do Sindicato dos Corretores de Seguros (Sincor).

Em determinados casos, o aumento foi até maior, e alguns prêmios ficaram 200% mais caros. “A percepção das seguradoras é que o prejuízo está muito acima da média. Os preços estão caríssimos. Houve um caso recentemente na minha empresa de uma pessoa que pagava R$ 1.600 pelo seguro e, quando foi renovar, o valor saltou para R$ 3.600”, afirma o empresário Roberto Máximo, de outra corretora que funciona em Natal.

Os reajustes nos preços dos seguros refletiram diretamente no faturamento das empresas. No ano passado, de acordo com a Superintendência de Seguros Privados (Susep), as seguradoras de veículo arrecadaram no Rio Grande do Norte R$ 253,2 milhões, 5% a mais do que no ano anterior. No país inteiro, o volume de prêmios foi de R$ 33,8 bilhões.

Os números mostram uma recuperação do setor, que acumulou perdas significativas em 2016. Naquele ano, as empresas arrecadaram no RN R$ 232,1 milhões, 15% a menos do que em 2015, quando a receita havia sido de R$ 252,6 milhões. A nível de país, a arrecadação de 2016 foi R$ 31,6 bilhões, contra R$ 32,4 bi do ano anterior.

Para calcular os valores dos prêmios, as seguradoras consideram diversos fatores, entre os quais o perfil de quem dirige, o valor patrimonial do bem e, claro, a taxa de risco de ocorrência de sinistro (neste caso, o roubo). “Estamos com este índice alto, e isso influencia bastante. No sistema de seguros, quando a seguradora tem o prejuízo, no outro mês ela tenta tirar o lucro. Por isso, o aumento”, explica Máximo.

O presidente do Sincor, Alderi Moura, diz que o aumento nos preços é inevitável. “As seguradoras têm ficado com um negativo muito forte, os prejuízos estão elevados. Então, isso tem sido repassado para o consumidor. Dependendo de onde o cliente reside, o reajuste sobre o prêmio pode chegar a 30% ou mais”, frisa.

ROUBOS

Dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) apontam que, em 2017, foram registrados 4.149 roubos de veículos na Região Metropolitana de Natal. Em todo o Rio Grande do Norte, foram 737 casos registrados apenas em janeiro deste ano.