A nobre flor de sal potiguar entre os sabores do Sirha - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

02/03/2018

A nobre flor de sal potiguar entre os sabores do Sirha


Considerada por renomados chefs do mundo como o sal marinho mais nobre e sofisticado para uso na alta gastronomia, a flor de sal produzida no Rio Grande do Norte será um dos produtos potiguares apresentados no Salon international de la restauration, de l’hôtellerie et de l’alimentation (Sirha). O evento é considerado o mais importante em âmbito mundial para para profissionais de foodservice e hotelaria e será realizado entre os dias 14 a 16 de março, no São Paulo Expo.

A Cimsal foi uma das empresas do Rio Grande do Norte selecionadas pelo Sebrae para compor o Espaço Terroir, que terá 63 produtores rurais de todo o Brasil. A ideia do espaço é apresentar no salão produtos diferenciados com apelo gourmet que apresentam indicação geográfica ou de procedência, certificação de orgânico, características oriundas de territórios brasileiros que valorizam a cultura, a origem, as tradições e o “saber fazer”. O espaço ganhou destaque nas últimas edições, chegando a ir para Lyon em janeiro de 2017, no evento francês.

Utilizando a técnica das salinas francesas, a Cimsal, que está instalada principalmente na região Oeste potiguar, é pioneira na produção e comercialização da flor de sal no Brasil. Para o evento, a empresa vai levar as linhas natural e também a saborizada, que traz versões como defumado, ervas finas, com ibisco, chocolate com pimenta, caramelizada e alho com limão.

“Temos certeza de que os resultados da participação no Sirha serão positivos para a empresa, tendo em vista o perfil dos visitantes e chefs que vão estar no evento. Acredito que será positivo tanto na parte de divulgação quanto de retorno comercial”, avalia o gerente de marketing da Cimsal, Roberto de Freitas.

Características

O produto é nobre porque, além de raro, é usado para concluir a preparação dos alimentos, dando o toque final para valorizar e realçar o gosto da comida. Os raros cristais são cuidadosamente coletados manualmente em períodos específicos nas superfícies das salinas e secados naturalmente ao sol. Após o processo de colheita os cristais são envazados manualmente por artesãs e comercializados para as lojas gourmet e restaurantes de todo o mundo.

Além de manter todo o aroma do mar, a flor de sal contém mais de 80 minerais e oligoelementos. O teor de cloreto de sódio, o principal componente do sal, é, contudo, relativamente baixo. O magnésio, um dos primeiros componentes a precipitar-se nas superfícies das águas, age como um realçador natural de sabor, tornando-se também uma alternativa aos adeptos da qualidade de vida saudável. e realçar divinamente o gosto da comida.

O produto é obtido na costa potiguar, área que responde por 95% da produção de sal marinho do país. Muito sol, brisa suave e baixa umidade formam as condições climáticas ideais para a precipitação da flor de sal. Operando há 44 anos, a Cimsal tem sua matriz instalada na cidade de Areia Branca (distante 330 quilômetros de Natal) e tem filiais em Mossoró (RN), Fortaleza (CE) e São Bernardo do Campo (SP).

Com uma área de produção de aproximadamente 3.000 hectares, a Cimsal está entre as cinco maiores empresas produtoras de sal por evaporação solar do Brasil. Alcançando uma produção de mais de 600 mil toneladas de sal por ano, o que faz dela uma referência nacional.