Produtos produzidos no RN começam a conquistar a mesa e o paladar paulista - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

26/03/2018

Produtos produzidos no RN começam a conquistar a mesa e o paladar paulista


Queijos de coalho, carne de sol, compotas e geleias de frutas regionais, cachaças orgânicas, dentre outros produtos com alto padrão de qualidade, produzidos no Rio Grande do Norte, vão conquistar a mesa e o paladar paulista. A abertura de mercado de São Paulo para alimentos e bebidas regionais daqui do Estado vem com o projeto da FIERN em parceria com o Sebrae-RN. Cerca de 25 empresas industriais demonstraram intenção em aderir ao projeto, após apresentação a empresários, realizado dia 22 de março, na Casa da Indústria.

Durante o projeto, além de pesquisa qualitativa de mercado já realizada, as empresas terão consultoria especializada, com diagnóstico de empresas industriais do ramo de alimentos e bebidas com potencial, indicar as adequações necessárias de produtos, identidade visual das marcas, embalagens, além de prospecção de mercado e aproximação comercial entre empresas dos dois estados.

A ideia é dar maior visibilidade a produtos e marcas do Rio Grande do Norte, de forma orientada e com baixo investimento. Estimado em R$ 134 mil, o programa terá subsídio de 50% do Sebrae, 30% da FIERN e 20% de contrapartida das empresas, a ser rateado entre as que aderirem ao programa.

Para o Superintendente de Estratégias e Articulação da FIERN, Hélder Maranhão, a ação integrada é considerada uma das prioridades para fomentar a indústria local formada em grande parte por pequenas empresas. “As ações serão realizadas a partir de pesquisa qualificada junto ao mercado paulista que identificou quais os nichos existentes e perfis de empresas buscados, além de trabalho de consultoria para as empresas aderirem a este mercado”, disse.

Segundo pesquisa qualitativa de mercado realizada pelo Sebrae, há um público potencial estimado em cerca de 4,7 milhões de pessoas no mercado paulista que consomem a gastronomia nordestina. E, do outro lado, uma baixa participação de marcas potiguares no mercado. São produtos com características ‘gourmet’ e ‘terroir’ – de forte identidade com a região onde são produzidos -, que tenham alto valor agregado e se diferenciem de outros alimentos e bebidas regionais já comercializados naquele estado.

O superintendente do SEBRAE-RN, Zeca Melo, destaca a importância da abertura de mercado para as empresas locais. “Este é mais um projeto de parceria com a FIERN, que tem um respaldo técnico. E de grande relevância sobretudo nesse momento que atravessamos, podermos inserir e ampliar mercados”, afirma.

O projeto compreende desde o diagnóstico dos nichos de mercado e perfis de empresas locais, ações de inteligência de mercado até a fase de aproximação comercial dos potenciais produtores do RN e compradores de São Paulo, que deverá ser, segundo o gestor da Unidade de Acesso a Mercado do Sebrae, David Góis, executado de março a dezembro deste ano. “Há todo um trabalho para adequação das empresas a legislação, como também de marcas, a parte visual, de prospecção de mercado e aproximação comercial”, afirma o gestor do SEBRAE-RN.