Ausência do café da manhã aumenta o risco de obesidade e doenças cardíacas - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

04/04/2018

Ausência do café da manhã aumenta o risco de obesidade e doenças cardíacas


Ignorar o café da manhã aumenta o risco de obesidade, doenças cardíacas e diabetes, segundo um novo estudo. Especialistas disseram que até um terço dos adultos pulam o café da manhã e comem lanches durante todo o dia – um padrão que poderia danificar a saúde.

A nova orientação, emitida pela American Heart Association, foi apoiada por especialistas britânicos, que disseram que tendências semelhantes são muito comuns no país. A revisão, liderada por especialistas da Universidade de Columbia em Nova York, concluiu que as pessoas que tomam regularmente um café saudável são menos propensas a acumular calorias mais tarde no dia. Isso significa que seu corpo tem mais tempo para queimar a energia antes de ir dormir.

As pessoas também devem tentar restringir sua alimentação às refeições principais e não beliscar, disseram os especialistas, advertindo as pessoas sobre o perigo de comer “emocionalmente“. Deve-se consumir entre 15% e 25% de sua ingestão energética diária na hora do café da manhã, entre 300 e 500 calorias para uma mulher e 375 e 625 para um homem.

Os cientistas não definem exatamente o que as pessoas devem comer, mas disseram que um café saudável deve ser rico em nutrientes, como fibra, cálcio, potássio e vitamina D. “O horário da refeição pode afetar a saúde devido ao seu impacto no relógio interno do corpo. Sugerimos comer conscientemente, prestando atenção ao planejamento tanto do que você come e quando se alimenta de lanches, para combater a alimentação emocional”, disse a professora Marie-Pierre St-Onge, da Columbia University, que liderou o painel de avaliação.

“Muitas pessoas acham que as emoções podem desencadear episódios de descontrole quando não estão com fome, o que muitas vezes leva a comer muitas calorias de alimentos que têm baixo valor nutricional”, completou. Sua equipe citou estudos anteriores que mostraram que as pessoas que geralmente ignoram o café da manhã têm um risco aumentado em 27% de sofrer um ataque cardíaco e são 18% mais propensas a ter um acidente vascular cerebral.

Outros estudos descobriram que as pessoas que tomavam café da manhã todos os dias eram menos propensas a ter colesterol alto e pressão arterial elevada. Já as pessoas que ignoram o café da manhã são mais propensas a ser obesas e sofrer com diabetes. A chave, disse professora St-Onge, é planejar refeições, reservar tempo para comer e manter o plano. “Todas as atividades têm um lugar em uma agenda ocupada, incluindo alimentação saudável e estar fisicamente ativo“, disse ela. “Essas atividades devem ser planejadas com antecedência e devem ser feitas por tempo suficiente“, completou.

Evidências crescentes sugerem o desaparecimento da refeição da família consumida em uma mesa e o boom em cadeias de sanduíches e restaurantes de fast food mostram que preferimos comer enquanto fazemos outras coisas – como dirigir, por exemplo. Um relatório da Sociedade Real de Saúde Pública publicado em agosto descobriu que adultos britânicos adicionam uma média de 767 calorias em sua dieta a cada semana durante a viagem para o trabalho. Grande parte dessa ingestão foi devido ao consumo de croissants e outros lanches, já que tinham perdido o café da manhã, segundo o relatório.

Um relatório de uma Equipe Governamental, também publicado no verão passado, chegou a conclusões semelhantes. No entanto, nem todos os cientistas estão convencidos da importância do café da manhã. Dr. James Betts, professor de nutrição na Universidade de Bath, sugere que as pessoas que ignoram o café da manhã na verdade consomem menos calorias.

Ele pediu para um grupo de indivíduos comer um café da manhã de 700 calorias ou mais, enquanto os outros tiveram que beber apenas água até o almoço. Ele descobriu que aqueles que ignoravam o café da manhã realmente comiam mais no almoço, mas não o suficiente para compensar o déficit de 700 calorias.