Judiciário potiguar ganha 37 novos juízes vitalícios - Joabson Silva

NOVAS

18/04/2018

Judiciário potiguar ganha 37 novos juízes vitalícios


O Tribunal de Justiça homologou, nesta quarta-feira (18), o vitaliciamento de 37 juízes substitutos, que iniciaram suas atividades na magistratura potiguar em abril de 2016. Os desembargadores aprovaram esta etapa na carreira profissional desse grupo, que passou por curso de formação, mais de 500 horas de aulas e todo um ciclo durante os últimos 24 meses. O presidente do TJRN, desembargador Expedito Ferreira, disse que este é um momento especial. “É a primeira sessão de vitaliciamento de magistrados em mais de 100 anos de história desta Corte”, salientou o dirigente do Poder Judiciário potiguar.

Os desembargadores aprovaram o vitaliciamento após a leitura do voto da corregedora geral de Justiça, desembargadora Zeneide Bezerra. Ela destacou o trabalho do coordenador do ciclo, juiz corregedor auxiliar Undário Andrade, e dos assessores do órgão e do seu gabinete do TJ para o êxito deste trabalho, hoje considerado uma boa prática no Judiciário brasileiro, desenvolvido pela Corregedoria.

“Quero registrar meu entusiasmo com essa equipe de juízes ao longo dos últimos dois anos e desejo que daqui para frente esse sentimento seja cada vez maior em produtividade e na atenção ao viés social deste Tribunal, reconhecido em todo o país”, frisou a desembargadora Zeneide Bezerra. Estavam presentes ao ato de homologação, durante a sessão administrativa da Corte Estadual de Justiça, os juízes Daniel Augusto Freire, Thiago Lins Coelho e Ana Paula Nunes.

Para o desembargador João Rebouças, o momento marca um passo importante na carreira de cada um desses magistrados. Opinião compartilhada pelo representante da direção da Associação dos Magistrados do Rio Grande do Norte (Amarn), juiz Guilherme Cortez, ao lembrar que 363 mil processos foram julgados pelo Judiciário potiguar em 2017 e os novos juízes deram sua contribuição para esse resultado, assim como nos julgamentos de processo da Meta 4 do CNJ (referentes a crimes contra a administração pública e improbidade administrativa).

Os novos juízes vitalícios são os seguintes:

Adriano da Silva Araújo

Ana Maria Marinho de Brito

Ana Paula B. dos Santos A. Nunes

Andressa Luara H. R. Fernandes

Antônio Borja de Almeida Júnior

Arthur Bernardo M. do Nascimento

Bruno Montenegro Ribeiro Dantas

Daniel Augusto Freire de L. e C. Maurício

Demétrio Demeval T. do Vale Neto

Deonita Antuzia de S. Antunes

Diego Costa Pinto Dantas

Edilson Chaves de Freitas

Eduardo Neri Negreiros

Emanuel Telino Monteiro

Érika Souza Corrêa Oliveira

Evaldo Dantas Segundo

Fábio Ferreira Vasconcelo

Flávio Roberto Pessoa de Morais

Francisco Pereira Rocha Júnior

Ingrid Ranielle Farias Sandes

João Henrique Bressan de Souza

José Ronivon Beijamim de Lima

Lydiane Maria Lucena Maia

Maria Cristina M. de Paiva Viana

Mark Clark Santiago Andrade

Michel Mascarenhas Silva

Mônica Maria Andrade Silva

Natália Modesto Torres de Paiva

Pedro Paulo Falcão Júnior

Rafael Barros T. do Nascimento

Rainel Batista Pereira Filho

Renan Brandão Mendonça

Romero Lucas Rangel Piccoli

Tiago Neves Câmara

Thatiana Freitas de P. Macedo

Thiago Lins Coelho Fonteles

Uedson Bezerra Costa Uchoa