Saiba quem são os foragidos há mais tempo no Rio Grande do Norte - Blog do Joabson Silva | Opinião e notícia

NOVAS

17/04/2018

Saiba quem são os foragidos há mais tempo no Rio Grande do Norte


Através do Banco Nacional de Mandados de Prisão, é possível acessar os mais de 12 mil mandados em aberto emitidos no Rio Grande do Norte. Os mais antigos datam do ano de 2007 e seguem até os dias atuais. São os mais diversos casos, desde pequenos roubos a homicídios. Estas pessoas são tidas como “foragidas” pelas autoridades, uma vez que aos olhos da Justiça elas continuam livres.

Dentre tantas informações, o fato é que o banco de dados é uma fonte de informações segura utilizada pelos servidores da Justiça e da Segurança do Estado e do Brasil. Logo, é necessário que os dados estejam sempre atualizados, uma vez que falsas informações ou falta de atualizações podem prejudicar o trabalho das autoridades.

O caso mais antigo data do dia 1º de janeiro de 2007 e aconteceu no município de Nísia Floresta. Nilton Cézar da Silva, conhecido popularmente como “Mutuim”, cometeu um homicídio e teve seu mandado de prisão expedido pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN). De início, sua prisão seria apenas preventiva, porém, as autoridades locais não o encontraram no local especificado no boletim de ocorrência e acreditam que ele tenha fugido para evitar a prisão.

Oziel Lourenço Nunes é outro que está “foragido” desde o ano de 2007. Acusado pelo crime de roubo no município de São José de Mipibu, Oziel teve o mandado expedido pelo TJRN no mesmo dia que Mutuim. As autoridades estiveram a sua procura em Nísia Floresta, onde, segundo os registros, ele morava, mas não tiveram sucesso.

No dia 20 de janeiro de 2011 o Tribunal Regional Federal da 5ª Região expediu um mandado de prisão contra Felipe Chaves de Araújo, no município de Caicó. Felipe foi acusado de roubo majorado, onde teria roubado um veículo utilizando violência contra a vítima.

O acusado foi detido e cumpria pena na Penitenciária de Alcaçuz, em Mossoró, quando cometeu um homicídio qualificado junto de outros dois comparsas. A vítima, identificada como Francisco de Lima, foi morto sem ter chances de se defender. O mandado continua constando como “Aguardando Cumprimento” e o relatório não informa o paradeiro de Felipe.

Outro caso antigo é o de José Anderson Silva de Freitas, com mandado em aberto desde o dia 06 de junho de 2012. No relatório consta que José é acusado por homicídio qualificado, um crime cometido no dia 23 de novembro de 2003, em Natal, no qual ele foi julgado e condenado quase 10 anos depois. José também possui outro mandado em aberto pelo crime de porte de arma de fogo, que data do dia 31 de agosto de 2011.

Cleisa Maria Rodrigues Braz é outra que possui o mandado de prisão em aberto. Expedido pelo TJRN no dia 11 de junho de 2012, Cleisa é acusada por um crime cometido no dia 23 de fevereiro de 2005, um homicídio triplamente qualificado contra Flavia Maria Rodrigues Lopes, em Natal. A pena imposta alcançaria até 14 anos e 6 meses de reclusão. Não há informações no relatório sobre sua condição atual.