Técnico da seleção da Bolívia troca socos e ameaça funcionário de morte - Joabson Silva

NOVAS

20/04/2018

Técnico da seleção da Bolívia troca socos e ameaça funcionário de morte


O treinador da seleção da Bolívia, Mauricio Soria, se envolveu em uma briga na última quarta-feira, 18, e, por isso, pode perder o emprego no time nacional. De acordo com a imprensa do país, o técnico trocou socos com um funcionário pessoal, identificado como Manuel Talamani, que teria lavado o carro do técnico com as janelas abertas.

A briga aconteceu no meio da rua e a polícia foi acionada.

Mauricio Soria não falou sobre o caso à imprensa. No entanto, alguns jornais divulgaram a versão que teria sido relatava a polícia.

“A pessoa com a qual tenho esse incidente é Manuel Talamani, um dos meus trabalhadores que, esta manhã, reagiu contra a minha pessoa de forma agressiva e ofensiva quando chamei sua atenção por estar lavando minha caminhonete com as janelas abertas. Minha resposta, para evitar maiores incidentes, foi dizer a ele que se fosse da minha casa e que não trabalharia mais para nossa família. Quando dei a volta para ingressar ao meu domicílio, na presença da minha esposa, esse sujeito me deu um soco no olho direito, lesão que pode ser constatada – teria dito o comandante boliviano à polícia, que mostrou o resultado da briga: um olho roxo”.

Talamani concedeu entrevista ao canal de televisão “Unitel” e negou a versão do técnico.

“Ele me golpeou. Não fiquei com as mãos cruzadas e respondi. Dei uma no olho dele. Ele me disse “olha o que você fez”, e, logo depois, disse à mulher “traga-me uma pistola, vou matar esse filho da p***”, contou o funcionário.

O presidente da Federação Boliviana de Futebol, César Salinas, disse ao canal “Diez” que vai conversar com Mauricio Soria sobre a confusão e deixou o futuro do técnico em aberto.

“Vou ter uma reunião com ele para ter um critério claro do que aconteceu, mas considero que o treinador da seleção precisa ter uma conduta exemplar”, afirmou.

Vale lembrar que a Bolívia não vai à Copa.