Número de postagens de vídeos e fotos contendo violência cresce no Facebook - Joabson Silva

NOVAS

17/05/2018

Número de postagens de vídeos e fotos contendo violência cresce no Facebook


O Facebook identificou 3,4 milhões de postagens contendo violência explícita no primeiro trimestre deste ano. O número corresponde a três vezes mais fotos e vídeos violentos publicados na rede social que o ano passado, quando foi registrado 1,2 milhão no mesmo período.

Em relatório divulgado pela empresa esta semana, o Facebook diz que não sabe exatamente os motivos que levaram seus usuários a compartilhar mais conteúdos de violência, mas que acredita que os combates da Síria pode ser uma das razões.

“Inevitavelmente, sempre que começa uma guerra há um grande aumento na violência”, disse Alex Schultz, vice-presidente de análise de dados do Facebook.

Atualmente, a rede social não remove vídeos e fotos de violência a não ser que esses conteúdos exaltem o sofrimento de pessoais. A empresa, no entanto, nunca divulgou detalhamento sobre quais tipos de postagens podem ser retirada do ar por violação de suas regras nesse sentido.

“Os tipos métricas que usamos podem ajudar nossas equipes a entender o que realmente está acontecendo com mais de 2 bilhões de pessoas”, disse Schultz.

Momento. O Facebook vive sua pior crise da história, desde que veio à tona o escândalo de uso de dados de milhões de usuários pela empresa de consultoria política, Cambridge Analytica, em março deste ano.

Investigações preliminares dão conta de que ferramentas criadas pela rede social para que aplicativos de terceiros coletem informações pessoais de seus usuários ajudaram a Cambridge Analytica a manipular a opinião pública em eventos como as últimas eleições presidenciais dos Estados Unidos e o Brexit, na Inglaterra.

Desde então, a rede social tem anunciado vários dados e iniciativas que até então nunca tinham sido divulgados, com a justificativa de que está sendo mais transparente com seus usuários e com a sociedade.

A empresa sofre ainda forte pressão de órgãos do mundo inteiro que tentam regulamentar o algoritmo da empresa, responsável por todo o funcionamento da rede social. O funcionamento desse sistema, nunca revelado pela companhia, é considerado caixa-preta pelo mercado e defendido como um segredo de negócio pelo Facebook.